Onibus escolar atola em serra e coloca em risco vida de estudantes

Um ônibus escolar acabou ficando atolando em uma estrada nova onde foi construído um novo travessão para facilitar a circulação (continue lendo)...

Datafolha mostra Dilma com 52% e Aécio com 48% dos votos válidos

A menos de uma semana da votação em segundo turno, a presidente Dilma Rousseff (PT) aparece pela primeira vez em vantagem...(Continue Lendo)

Idosa morre em colisão entre carro e caminhão na BR-163

No início da manhã desta segunda-feira (20), uma idosa de 74 anos morreu após o veículo GM Vectra prata em que a mesma estava colidir em um caminhão na BR-163...(CONTINUE LENDO)

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Ônibus de Nobres abarrotado com mercadoria do Paraguai é apreendido

Nesta segunda-feira, depois de receberem denúncia anônima através do Disque Denúncia DOF 0800 647 6300, informando que um ônibus com placas da cidade de Nobres/MT estaria transportando mercadorias de origem estrangeira, Policiais do Departamento de Operações de Fronteira – DOF realizaram policiamento na BR-163, e no Distrito de Vila Vargas, Município de Dourados, abordaram para fiscalização um ônibus Volvo/B120, de cor branca, com placas da cidade de Nobres/MT, conduzido por A.A.F. morador na cidade de Várzea Grande/MT.

Durante a vistoria foi constatado que o veículo transportava diversas mercadorias de origem estrangeira, entre elas 17 volumes de mídias virgens de DVD; 03 volumes de matérias para pesca; 03 volumes de ferramentas diversas; 04 volumes de bebidas diversas; 07 volumes de acessórios para narguile; 05 volumes de roupas diversas; 05 volumes de brinquedos; 13 unidades de Kit Xenon; 03 motores de popa; 17 aparelhos de som automotivo; e 20 receptores para antena parabólica.

Questionados a respeito das mercadorias o condutor informou que pertencem aos 22 passageiros, moradores na cidade de Cuiabá/MT, que informaram ter adquirido as mercadorias na cidade de Pedro Juan Caballero/Paraguai e seriam levadas até a cidade de Cuiabá/MT, e que não possuíam a documentação probante de sua regular importação.

As mercadorias e o veículo foram apreendidos e encaminhados à Delegacia da Receita Federal da cidade de Ponta Porã para as providências cabíveis.

Fonte: PRF

Desemprego tem a menor taxa para setembro desde 2002, diz IBGE

Em setembro, a taxa de desemprego ficou em 4,9% no conjunto das seis regiões metropolitanas, depois de marcar 5% no mês anterior, a menor em 12 anos, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O índice de setembro é o menor para o mês desde o início da série histórica, em 2002. No mesmo período do ano passado, o desemprego ficou em 5,4%. 
A quantidade de pessoas desocupadas chegou a 1,2 milhão e mostrou estabilidade na comparação com agosto. Já frente a setembro do ano passado, foi registrada queda de 10,9%. Quanto à população ocupada, que bateu 23,1 milhões, não houve variação nem em relação ao mês anterior nem diante de setembro de 2013.
“Ao longo de 2014, as comparações anuais [comparação entre os meses do ano anterior] mostram que você tem redução da procura, aumento da inatividade. E essa redução da procura de fato acaba diminuindo a taxa. A taxa cai porque menos pessoas buscam a posição no mercado. Você não vê redução significativa de postos, mas não observa formações significativas de postos. A população ocupada não vem se movimentando”, disse Adriana Araújo Beringuy, técnica da Coordenação de Rendimento e Emprego do IBGE.
O número de trabalhadores com carteira de trabalho assinada no setor privado atingiu 11,7 milhões, ficando estável em ambas comparações.
  •  
RENDIMENTO MÉDIO DOS TRABALHADORES (em R$)
Empregados com carteira no setor privado
1.886,00
Empregados sem carteira no setor privado
1.437,70
Militares e funcionários públicos
3.596,60
Pessoas que trabalharam por conta própria
1.773,20
Fonte: IBGE
 “Se as pessoas estão desistindo de procurar, ou se estão adiando a procura, são decisões diferentes que impactam a mesma variável, ou seja, a PD [população desocupada] cai. Mas se estão procurando e não acham, não tem como se avaliar. Afirmar que as pessoas não param de buscar porque não acham não está muito aderente ao que a gente vem observando na série histórica que é chamada de pessoas desalentadas”, completou.
Na análise regional, em relação a agosto, a desocupação cresceu no Rio de Janeiro, de 3% para 3,4%, e diminuiu em São Paulo, de 5,1% para 4,5%. Nas outras regiões pesquisadas, não houve variação. No entanto, quando são comparados os mesmos meses de 2012 e 2013, observa-se que a taxa avançou em Porto Alegre, de 3,4% para 4,9%, mas recuou em São Paulo, de 5,8% para 4,5%, e no Rio de Janeiro, de 4,4% para 3,4%. No restante das regiões metropolitanas, as taxas ficaram parecidas frente a um ano atrás.
“Regionalmente, o Rio de Janeiro tem aumento dessa taxa de desocupação, sobretudo em função do aumento da procura no mês da região. E São Paulo teve queda no mês em função da redução da procura na região. Na comparação anual, Rio de Janeiro apresenta queda. E Porto Alegre foi a única região que aumentou de forma significativa a taxa na comparação de 12 meses”, explicou.
Segundo a especialista do IBGE, tanto Rio de Janeiro quanto São Paulo registram a menor taxa de desocupação para o mês de setembro desde o início da série.
Salário estável
O salário médio dos trabalhadores ficou em R$ 2.067,10 - um aumento de 1,5% em relação a um ano atrás. Mas, frente a agosto, ficou praticamente estável. Nessa base de comparação, os salários aumentaram no Recife (3,6%) e em Porto Alegre (4,2%), mas caíram em Salvador (2%), em Belo Horizonte (1,%) e em São Paulo (0,6%).
Frente a setembro de 2013, mostraram aumentos os salários dos trabalhadores do Recife (7,4%), do Rio de Janeiro (6,4%) e de Porto Alegre (6,3%). Em Salvador, ficou 6,1% menor e, em Belo Horizonte, recuou 2,7%.
Desempenho por setores
Entre todos os setores analisados pelo IBGE, o desemprego do setor de construção mostrou a maior variação. Em relação a agosto, houve queda de 3,5%, ou seja, 63 mil pessoas a menos. Na comparação com o nono mês de 2013, o recuo foi ainda maior, de 6,4%, nas indústrias (6,4%). Em outros serviços, foi registrada alta de 3,3%.
A população não economicamente ativa foi estimada em 19,2 milhões de pessoas, indicando estabilidade sobre agosto e alta de 3,7% diante de setembro do ano passado.
FONTE: G1

Por que a manifestação do FHC fracassou? Foi humilhante

Com o ego ferido ao ver Lula e Dilma enchendo de povo as ruas deste país, o insepulto Príncipe dos Sociólogos resolveu arregaçar as mangas e testar o seu cacife, a sua popularidade — ou sabe-se lá o que ele queria testar — e convocou o povo às ruas contra a “podridão”.

Atentai bem.

A convocação deu em todos os jornais e sites camaradas, todo articulista do bico comprido se referiu ao movimento, denominado #‎VemPraRua22, pulularam videos no face, no twitter, no Zap… com depoimentos de FHC, Pedro Simon e o próprio Aécio.

Os neo-vloggers.

Diziam que iriam resgatar o espírito das jornadas de junho, aquela rave cívica que arrastou uma moçada jovem e cansada de caminhar em esteiras nas academias e que resolveu vestir-se de bandeira e dar um rolê pelas ruas, sempre na hora de pico, atrapalhando o trabalhador de chegar em casa.

Lembra deles?

Aécio foi taxativo “nesta quarta-feira, a partir das 19h, o Brasil inteiro vai estar mobilizado pela mudança.”

A expectativa era enorme. As casas de apostas se enchiam, o povo se acotovelava com maços de reais nas mãos. Colocariam 50 mil pessoas nas ruas como fez Dilma no Recife? Fariam um novo TUCA? Reproduziriam aquela linda imagem recheada de vermelho que vimos essa semana na ponte que liga Joazeiro à Petrolina, com uma multidão gritando Dilma, Dilma?

Às 19h de hoje tivemos a resposta:

cri, cri cri, cri…

O povo não foi.

Olhei para um lado, olhei para o outro e nada. Cadê Dado Dolabella, cadê Lobão, cadê Alexandre Frota, quêde Lindsay Lohan?

Uai, sô. Abandonaram o candidato, esses cabras só são machos pra xingar nas redes sociais, cadê mostrar a cara, cadê bater no peito, cadê levantar a bandeira?

Nada!

Na hora de chacoalhar cadeirante, ameaçar ator, xingar a presidenta, eles saem todos das tocas.

Todos nós sabemos que a turma do Aécio é da massa cheirosa e, sem água, fica difícil madame arrumar o cabelo para sair às ruas.

Mas FH deixou claro que dessa vez queria o povo lá, o povão, eu e você. E FH, todos o sabemos, tem a sua forma singular de se aproximar do povo, certa vez disse que era um mulatinho com um pé na cozinha, dessa vez preferiu mexer na árvore genealógica pra convencer os desinformados, ele aclamou sem enrubescer “sou neto de nordestino, tenho orgulho disso. Nós aqui de São Paulo precisamos estar juntos com vocês todos, nós todos juntos em indignação contra essa podridão que está havendo no Brasil.”

Cri, cri, cri…

Mas com mil diabos, tantos artistas populares ao lado deles, Chitãozinho, Zezé, Anderson Spider, o Fenômeno, o Goleiro Bruno, a família Para Nossa Alegria…

Mas e o povo, quêde povo no Largo do Batata, Deus dos invernos?

Com que cara o candidato sai de casa amanhã? Haja injeção de cavalo depois dessa.

Melancolicamente, Aécio vai vendo a sua candidatura artificial cair na real.

Um cabra que, às véspera do pleito, convoca o povo às ruas e fica comendo mosca só pode tá moscando.

A única multidão que segue Aécio é aquela que desrespeitosamente aplaude o seu candidato em debates, dentro dos estúdios de TV, no ar condicionado.

A rua é nóis, Aécio.

Palavra da salvação.

Contextolivre


Roma Turismo (Nobres)
Charge mais vista nessa semana em todo o Brasil