ANALISTA POLÍTICO DO AGITOS FAZ COMPARATIVO ENTRE MUNICÍPIOS E RETRATA TRISTE REALIDADE DE ROSÁRIO OESTE.




Não gostaria de escrever isto, dado ao enorme amor que sinto por Rosário Oeste, entretanto, nós cidadãos de bem, que desejamos o melhor para o nosso município, não podemos nos calar diante de tanta inércia administrativa, diante do caos, diante do desprogresso, em pleno século do desenvolvimento, onde Mato Grosso figura como um dos melhores estados para se investir, com credibilidade em alta.
O estado de Mato Grosso, com sua pujança sobressaindo sobre os demais estados da federação, é hoje referência mundial no que se refere à economia. E nessa direção - a do progresso – caminha velozmente a maioria dos municípios mato-grossenses, salvo raras exceções, e aí eu incluo, infelizmente, Rosário Oeste.

Nos últimos 30 (trinta) anos, não se vê aqui em Rosário Oeste, um pingo de desenvolvimento, de apogeu, de progresso, de mudanças. E não adianta tentar tapar o sol com a peneira, argumentando que o município cresceu, porque não é verdade. Basta compararmos, com alguns municípios, e para  não cometer injustiça, compararemos com Acorizal e Nortelândia, ambos semelhantes a Rosário Oeste em termos econômicos, pois não produzem soja.
Esses dois municípios, há alguns anos, eram desconsiderados do contexto estadual em termos de economia.

Hoje, verificamos o oposto. São municípios referenciais no desenvolvimento.
Aliás, referindo-me a Nortelândia, a educação municipal daquele município  foi agraciado com o  Prêmio Palma de Ouro pelo terceiro ano consecutivo.  O prémio é concedido às cidades com melhores índices educacionais do país, após uma avaliação criteriosa feita por uma renomada organização Brasileira, e que é marcada por decisões que levam crianças e jovens a um patamar diferenciado em função dos investimentos numa educação de qualidade, que espelha a dedicação e austeridade a frente de tão importante área que influência direta na qualidade de vida das famílias.

O Palma de Ouro é o maior prêmio da educação nacional, e este ano premiará os diamantes da educação Brasileira, em reconhecimento ao trabalho desenvolvido pelos secretários municipais de educação.
Além disso, o município de Nortelândia está muito bem estruturado, tanto na zona urbana, quanto na rural. A cidade é limpa, organizada, totalmente asfaltada, bem iluminada, tudo funcionando espetacularmente.
Acorizal, também é referência e motivo de orgulho na baixada cuiabana.
Agora vem a pergunta inescapável: “Por que Rosário Oeste não se desenvolve?”

“Os problemas de Rosário Oeste são antigos, herdados de gestão para gestão” – São esses os argumentos que os nossos prefeitos usam para justificar a inércia, a incapacidade de resolver, por exemplo, a situação da prefeitura que se encontra no CADIN (Cadastro de Inadimplentes), cujo registro impede o município de receber convênios e algumas outras verbas.
O resultado dessa “inefetividade” (traduzindo: junção de ineficiência + ineficácia) é o que vimos em nosso querido município: ruas sujas tomadas pelo mato e buracos, asfaltamento que virou farinha, obras inacabadas e paradas, iluminação precária, saúde pública deixando a desejar, educação municipal, sendo alvo de protestos de servidores, Infraestrutura inexistente, pois a prefeitura não tem um parque de máquinas para fazer frente aos problemas estruturais,  enfim, é difícil encontrarmos algo que nos deixa orgulhosos em Rosário Oeste.

Dr. Lélio, Beatriz, Dr. Fernando, Zeno Gonçalves e Joemil Araujo, são estes os nossos últimos gestores que administraram Rosário Oeste por décadas, e são os principais responsáveis por tudo isso.
Hoje, temos que nos contentar com “Parque Municipal”, “Cinema Municipal” e 01 “Ginásio Poliesportivo”, grandes obras dos últimos 30 anos. O restante é paliativo, ínfimo, sem expressão.
Apesar de tudo isso, ainda assim, empresas continuam acreditando em Rosário Oeste, exemplos: Móveis Gazin, Polo Centro, Supermercado Fortes e Bambil,  Móveis Felipe, Oeste Center, Rosário Mat. Construções, etc. e fomentam a economia local. Acredito ainda, no frigorífico, mas até quando?

Na área da Ação Social, vimos muito pouco também, fruto de ineficácia das últimas gestões. Basta compararmos com Nova Mutum, Tapurah, por exemplo. E não precisa produzir soja para se executar um bom trabalho na Ação Social, porque verbas existem. Some-se a isso que o Governo Federal prioriza muito essa área. E tem ajudado muitos municípios.
Para concluir, só existe, em minha opinião,  um caminho para Rosário Oeste retomar o desenvolvimento,  o apogeu e o progresso: Renovação total, na gestão municipal, bem como na câmara dos vereadores. Quem sabe, se um nome novo, com nova visão, nova dinâmica, novo gerenciamento possa, enfim, nos encher de  orgulho pelo nosso querido e amado município de Rosário Oeste. E a oportunidade nos será  dada  neste ano, mais precisamente no dia 07 de outubro.

Por: Fernandes Silva
Analista Político.
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario