De vexame em vexame governo se supera.

Já não há mais em quem atirar a culpa daqui pra frente, após o vexame causado na tentativa de realização de concurso público, às pressas, sem obedecer prazos limites e no mais flagrante desrespeito à Constituição Municipal.

Mas o abuso com dinheiro público parece não ter mais limites e a profusão de "out door's" espalhados por Nobres, Rosário Oeste e Cuiabá revelam um governo que não parece atentar para a realidade interna, onde o hospital conveniado já vai para o terceiro mês sem receber. E tudo começou a "ruir" a partir do instante em que o prefeito se viu proibido de realizar cirurgias eleitoreiras na casa de saúde particular. Mas há os buracos nas ruas e a pintura de meio-fios, para contrastar com a mentira que se prega de que o governo mudou pra melhor.

Os gastos abusivos com empresas de assessoria carecem de investigação séria e responsável embora pareça conveniente a determinadas pessoas que exercem poderes extremos dentro do governo. O resultado da sindicância do intrincado "Caso Bomba d'Àgua" foi ignorado, apesar de apontar responsabilidades.
E para culminar, o cancelamento de um show previsto para o primeiro dia da semana de aniversário de Nobres, dia 27 de abril, da Banda Anjos de Resgate. Justo o mais badalado, ao menos para o segmento católico, e que pode despertar a ira do líder religioso Padre Alex, talvez, uma das figuras mais simpáticas e coerentes que já aportaram em Nobres nos últimos anos.

A autoridade do chefe da Igreja Católica em nível municipal é do mesmo tamanho ou até maior que a do prefeito, até porque, o pároco local é um líder religioso; e o prefeito José Carlos da Silva seria o quê?
Apenas um mero seguidor das tendências apresentadas pelo homem que dita estilo e regra dentro do governo, o secretário da super-secretaria municipal de Finanças, Valdinei Sergio Muniz Albertoni, cuja esposa, adentrou a sede do governo e agrediu física e moralmente uma servidora pública municipal. E o que fez o prefeito José Carlos da Silva? Simplesmente omitiu-se dos fatos e deixou o barco correr, mansamente, embora por águas turbulentas, em um governo que mal consegue planejar os minutos seguintes.

O que se fala agora, neste exato instante, nos próximos 10 minutos já terá se dissipado, tal e qual o conteúdo de um frasco de perfume, aberto e tão volátil quanto às afirmações de determinadas autoridades políticas locais.
Aniv_47_1_640x480Mas os vexames não devem parar por aí, ainda tem o hospital conveniado que está sem receber, temos ainda a folha salarial que corre o risco de não ter cobertura financeira para ser quitada, não fosse também o vexame de alguém sair por aí atrás de dinheiro de agiota para cobrir despesas de última hora da Prefeitura de Nobres. E tomara que isso seja apenas um boato, já que se for fato, pode ultrapassar as raias do absurdo. (Foto/Tribuna de Nobres: palco do show, visão sombria no dia 28 de abril, pela manhã, o day after do show cancelado).

Infelizmente, de janeiro de 2011 até agora, o que mudou na Prefeitura de Nobres só foi o volume de despesas, em níveis desproporcionais para tão poucos recursos. Mas, poucos recursos para investimentos, já que tem secretários e pessoas ligadas ao governo exibindo poder financeiro que não apresentava até 2009, quando o atual prefeito ascendeu ao poder.

Por: Tribuna de Nobres
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario