Nobres tem o pontapé da Copa.

Por: Valtenir Pereira


Depois de duas décadas a Gleba Coqueiral Queibó em Nobres terá seu georreferenciamento e isso, significa um passo importante para a regularização fundiária, para que investidores acreditem no potencial turístico, para que haja asfaltamento, para que as famílias de assentados se sintam seguras em seus lares. Apesar de fazer parte da rota do turismo em Mato Grosso, Nobres é privilegiado com as belezas naturais e prejudicado pela falta de investimentos em infra-estrutura. 

Nesse processo, Nobres se prepara no rumo da Copa, assim como os outros municípios da baixada Cuiabana. Com carinho, destinei R$ 350 mil em emenda individual para pontapé fosse dado, para a execução do tão necessário georreferenciamento. Ao menos 80% das atrações estão no assentamento Coqueiral Queibó, que fica a 60 quilômetros do município, acessível por estrada de chão. Há seis anos, um grupo descobriu caminhos para o que antes era desconhecido até pela própria comunidade. 

Nobres segue a tendências de outros municípios com o potencial para transformar Mato Grosso num referencial de turismo sustentável. Tem a Lagoa das Araras, a Lagoa Azul, o Aquário Encantado e muito mais. São 35 atrativos, sendo 14 deles cavernas. A intenção do Estado, através da Secretaria de Turismo, é que o parque funcione como área de visitação.

O assentamento Coqueiral Queibó existe há 20 anos. São 750 lotes, em 53 mil hectares. Desse total, a Vila Bom Jardim ocupa 25 hectares, onde estão 200 casas, uma pequena pousada, dois mercados, três lojas de roupas e pequenos bares e restaurantes, nada adequado ao turismo. As dez ruas não têm asfalto e falta saneamento básico. 

Em alta temporada, a média é de 40 visitantes. Cerca de 50 famílias do assentamento se envolvem de forma direta ou indireta com o turismo. Dos 750 lotes, 60% têm um atrativo para os amantes da natureza. Mas agora, tudo tende a melhorar. O turismo gera emprego e renda e traz outra identidade para Mato Grosso, que o celeiro do mundo, mas ainda inexperiente no setor que também impulsiona a economia nacional.

Com essa iniciativa, o georreferenciamento resolve a situação de entrave jurídico-fundiário existente há anos na região e prova que o governo está enxergando região algo além da monocultura. Mais um grande passo.


· Valtenir Pereira é Defensor Público Licenciado e Deputado Federal
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario