Pedreiros e domésticas eram usados como "laranjas"


Cúpula da Segurança e o auditor-geral José Alves, durante coletiva, na sede da Polícia Civil
KATIANA PEREIRA
DA REDAÇÃO
As investigações da Operação Vespeiro, deflagrada pela Polícia Fazendária, revelam que a organização criminosa que fraudou em, pelo menos, R$ 12,9 milhões os cofres públicos de Mato Grosso era liderada pela coordenadora-geral da Conta Única do Estado, Magda Mara Curvo Diniz, que está foragida.

Magda, juntamente com o irmão, Silvam Curvo, proprietário de um escritório de contabilidade em Cuiabá, utilizava "laranjas" para desviar o dinheiro. 
Os beneficiários tinham ligações trabalhistas com os lideres da organização. Eles atuavam como pedreiros, jardineiros e empregadas domésticas dos fraudadores. Cada um deles recebeu, em média, R$ 1,2 milhões, desviados da Conta Única, por meio do sistema de pagamento BB Pag.

A delegada Cleibe Aparecida de Paula, responsável pelas investigações, disse, em entrevista coletiva, na tarde desta quinta-feira (3), na sede da Diretoria Geral de Polícia Civil, que três dos “laranjas” já foram interrogados e confessaram a prática do esquema fraudulento.

“Eles disseram que sabiam do esquema e que foram cooptados pela Magda e pelo irmão dela, o Silvam. Ele é proprietário de um escritório de contabilidade em Cuiabá e tinha a função de colocar mais pessoas nesse esquema fraudulento. Os laranjas recebiam pouco dinheiro para participar da fraude. Apenas o necessário para manter a vida simples que eles levavam”, disse a delegada.

Cleibe Aparecida informou que um dos laranjas, Paulino Silva da Cunha, não possui atividade profissional e fazia “bicos” de pedreiro, mas, mesmo assim, movimentou R$ 1,284 milhões, somente no ano de 2011. 
“Ele não recebeu muito dinheiro para participar do esquema. A esposa dele também foi recrutada pela organização e movimentou R$ 1,125 milhões. Ele disse que ganhou uma calça jeans e pouco dinheiro”, disse.

A delegada disse também que os laranjas revelaram que resolveram participar do esquema em função da promessa de ganhar uma casa do Programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal. 
Entre os acusados de coordenarem o esquema estão cinco servidores da Secretaria de Estado da Fazenda e dois funcionários que eram terceirizados. Eles foram afastados e estão respondendo a processo administrativo; aqueles que eram contratados foram despedidos.

Participação da Unemat 
A servidora da Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat) Joanice Batista do Espirito Santo Ferreira, foi presa na manhã desta quinta-feira (3), em Cáceres (225 km a Oeste de Cuiabá). 
Ela éacusada de usar concurso público para preenchimento de vaga em 2009, para receber parte do dinheiro desviado.

Operação Vespeiro 
Na madrugada de hoje, a Delegacia de Polícia Fazendária deflagrou a Operação Vespeiro.

Pelo menos, 60 policiais civis, sob o comando do delegado Rogério Modeli, cumpriram mandados de prisão em Cuiabá e na cidade de Cáceres. A delegada Cleibe Aparecida de Paula é a responsável pelas investigações.

Segundo a Polícia Civil, foram 38 mandados de prisão temporária e mais 38 de busca e apreensão.  
O grupo criminoso lesou a Conta Única do Estado durante, pelo menos, cinco anos: de 2007 a 2011.

A ex-coordenadora da Conta Única do Estado, Magda Mara Curvo Diniz, é apontada como chefe da quadrilha.

Segundo o Governo do Estado, cinco servidores fizeram parte do esquema, que beneficiou, pelo menos, 36 pessoas.

Veja o nome dos foragidos da Operação Vespeiro:
Edilza Maria de Freitas Curvo
Silvan Curvo
Magda Mara Curvo Diniz
Edson Rodrigo Ferreira Gomes
Glaucyo Fabian Oliveira Nascimento Ota
Girlayne Oliveira Nascimento Ota
Vicente Ferreira Gomes
Albina Maria Auxiliadora Gomes
Thais Gonçalves Mariano
Dijalma Moura da Silva
Elizabeth Alves da Guia
Helder da Sila Luzardo
Luca da Silva Luzardo
Tania Regina Lopes
Ana Roza de Souza
Denis Hitoche de Deus
Gustavo Henrique F. Gomes
Itamar Evaristo da Silva
Marcelo Benedito de Franca
Maria José dos Santos
Paulinete Auxiliadoira Neves dos Santos
Vania Teresinha Coelho
Paulo Alexandre França
Veja a lista com o nome dos presos divulgada pela Polícia Judiciária Civil:
Avaneth Almeida das Neves – Secretária Adjunta do Tesouro – Sefaz
Antonio Ricardino Martins
Joanice Batista do Espírito Santo – servidora do setor financeiro da Unemat, em Cáceres
Aurizete Juvencio dos Santos – recebeu R$ 537 mil
Jamerson de Araujo Kestring – recebeu R$ 19 mil, e é ligado ao terceirizado Glaucio Fabian de Oliveira, subordinado de Magda Curvo
Jonyelsen Rufino de Menezes – recebeu R$ 232 mil, e é marido de funcionária de irmão de Magda Curvo
Kelly da Silva Trindade – recebeu R$ 533 mil, é funcionária de Silvan Curvo, irmão de Magda Curvo
Lucy Marcia do Amaral Leque – recebeu R$ 55 mil
Manoel Joaquim da Conceição – recebeu R$ 307, é trabalhador braçal ligado a Silval Curvo
Paulino Silva Cunha – recebeu R$ 1,2 milhão
Marcia da Silva Santos – recebeu 1,1 milhão, e é esposa de Paulino
Miralva Alves dos Santos – recebeu R$ 541 mil
Vandercarlos Bonfim – recebeu R$ 83 mil
Antonio Oliveira Moraes – recebeu R$ 128 mil, e é ligado ao terceirizado Edson Rodrigo Ferreira Gomes, subordinado a Magda Curvo
Alice Maria de Oliveira
Leidiane Cristina de Arruda
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario