Vereador elogia transparência do fundo e desconfia do governo

O vereador Silvestre da Silva Campos (PR), novamente volta a questionar o tamanho da dívida pública e usa os dados fornecidos pelo Fundo de Previdência do município de Nobres para reforçar a tese de que algo não vai bem no governo do prefeito José Carlos da Silva. O relatório de receita e despesa do mês de janeiro deste ano, apresentado pela diretora do Fundo de Previdência, Maria Rosa, aponta que o Executivo (prefeitura) ainda não repassou os valores correspondentes aos meses de novembro e dezembro de 2011, que totalizariam R$ 253.582,82, pertencentes a Previ.

Segundo o que diz a lei: "O crime consuma-se no ato de inversão da posse, ou seja, no exato momento em que o agente toma para si a posse da coisa de outrem". Dessa forma, a retenção dos valores através da folha de pagamento e o não repasse ao Fundo de Previdência, pelo menos até aquela data citadina, em 15 de maio de 2012, durante a reunião legislativa, quando os relatórios foram apresentados, causam estranheza.
A divulgação do relatório expõe o governo e revela uma situação até então inusitada, em meio aos gastos abusivos com a festa de aniversário da cidade, há valores retidos e não repassados ao fundo, o que imediatamente foi questionado pelo vereador Silvestre Campos durante a sessão ordinária do Legislativo, em 15 de maio corrente.

O parlamentar republicano elogiou a transparência da diretora Maria Rosa Pedroso, mas discorda do Executivo quando ele toma para si valores que não lhes pertencem. Ainda que reponha esse valor, reitera-se, a posse inversa consuma a manobra governista, de reter e não repassar ao fundo, ainda que por lapso temporal ou por conveniência administrativa.
O estado de leniência da parte do Legislativo, ao menos por alguns de seus integrantes, parece estar chegando ao fim e a atitude do vereador Silvestre Campos reflete essa relação de descaso entre um para com outro poder.

De acordo com Silvestre Campos, o repasse dos créditos ao Fundo de Previdência, quando não feitos em dia, geram prejuízos, até mesmo nas aplicações feitas. Da mesma forma quando se verifica atraso no pagamento de fornecedores, obviamente que se registrará perda de acordo com os dias de atraso. Silvestre Campos disse ter conhecimento de comunicado público postado no portal municipal pela diretora executiva do Fundo de Previdência, mas a questão não é aquela que foi abordada no portal de notícias. Questiona-se os créditos quando os repasses são feitos em atraso e disse que pode convocar a diretora do Fundo para maiores esclarecimentos.

Outra versão
"Veja o que está no portal municipal: "A Diretora da PREVI-NOBRES afirma que todos os pagamentos referentes ao ano de 2011 já foram liquidados e que os comprovantes estão à disposição da população na sala da PREVI-NOBRES".

Para Silvestre Campos, o entendimento é um só, os créditos repassados em atraso é que estão em questão. "Tanto que elogiei a diretora do Fundo durante a minha fala e não coloquei em xeque a sua gestão, mas busquei reforçar a posição dela em relação aos créditos em atraso", disse, por telefone, dia 18 de maio, a tarde, o vereador Silvestre Campos.



Fonte da Reportagem: Tribuna de Nobres
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario