Delegados e peritos da PF em MT ameaçam cruzar os braços

Delegados e peritos da Polícia Federal em Mato Grosso ameaçam entrar em greve, aderindo ao movimento nacional que pede recomposição salarial e melhoria nas condições de trabalho.

A decisão foi tomada pela categoria, em assembleia-geral realizada na terça-feira (12), e uma mobilização foi feita na manhã desta quarta-feira (13), em frente à sede da Receita Federal da Capital, localizada na Avenida Historiador Rubens de Mendonça, próximo ao Pantanal Shopping.

Participam do movimento os servidores da Receita Federal e da Polícia Federal, bem como de outras carreiras do Estado, como advogados da União e servidores do Ministério do Trabalho.

O atendimento ao público ficou suspenso por uma hora, das 9h às 10h, imitando as paralisações dos servidores federais que estão ocorrendo nos demais estados do país. Outras manifestações, como essa, deverão ser feitas na Capital ao longo da próxima semana.

Os servidores pretendem pressionar o Governo Federal a apresentar uma novo proposta de recomposição salarial para o funcionalismo público, sob ameaça de paralisarem as atividades por tempo indeterminado.

Segundo o agente da PF, Paulo Araújo, a categoria vai aguardar uma posição da União até o dia 20 deste mês, caso contrário, uma nova assembleia será realizada e greve poderá ser deflagrada ainda no final de junho.

"Queremos que o Governo Federal apresente uma proposta de recomposição salarial e estamos abertos à negociação. Já estamos há seis anos sem reajuste salarial", afirmou.

Atualmente, o salário inicial dos agentes, escrivães e papiloscopistas da Polícia Federal é de R$ 7,5 mil, enquanto os delegados tem uma renda inicial de R$ 13,2 mil;

Caso a greve ocorra, serviços essenciais prestados à população, como a emissão de passaportes feita pela Polícia Federal, ficarão suspensos.


Por: Midia News
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario