Testemunha diz ter visto jovem aparentemente bêbada na noite em que ela foi morta e amarrada nua

Uma testemunha teria afirmado durante depoimento à Polícia Civil que a jovem Juliene Gonçalves, 22 anos, teria sido puxada para dentro de um carro em aparente estado de embriaguês, na noite em que foi morta, em Cuiabá.

As informações são de que Juliene esteve próximo a casa da avó no bairro Quilombo, para deixar um primo quando teria sido puxada para dentro de um carro e saiu com um rapaz. A testemunha disse ainda que a jovem parecia estar bêbada.

Juliene foi encontrada morta na manhã da segunda-feira (28), em uma praça no CPA. Ela foi morta na noite anterior asfixiada por uma corda e o responsável pelo crime tentou encenar um suicídio. O corpo da jovem foi amarrado nu com a calça que ela usava.

Antônio Rodrigo da Silva, 25 anos, foi preso em flagrante como principal suspeito do assassinato da jovem. Durante depoimento, afirmou que tentou ficar com Juliene no dia do crime, mas ela teria se recusado.

O caso é investigado pela delegada Anaíde de Barros, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), e apesar de Antônio negar o crime os indícios apontam para ele como o autor do assassinato da jovem.

Conforme levantado nas investigações na mesma noite em que foi morta Juliene teria saído de um show de pagode acompanhada de um primo e de Antônio, que chegou a afirmar ter levado ‘um fora’ da vítima.

Do: Olhar Direto
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario