Candidatos que usaram nome de instituição serão penalizados.

Recurso impetrado nesta segunda-feira (23) pela Advocacia-Geral da União (AGU) pode impedir que candidatos às eleições municipais associem seus nomes aos de autarquias e órgãos públicos. É permitido a eles registrar sua candidatura com um nome fantasia e, muitos, associam a locais onde trabalham. A medida pode afetar 210 postulantes aos cargos de vereador, prefeito e vice em todo o país.

No Estado, 7 candidatos a vereador podem ter que mudar seu registro caso o recurso da AGU seja acolhido. Em Cuiabá, Carlos Alberto de Almeida (PT), se registrou como Carlinhos Funasa. O candidato à Câmara de Várzea Grande, Wellington Soares (PSB) entra na disputa com o nome Prof. Soares do IFMT. Por Conquista D’Oeste, Edilson Dutra Pereira (PR), o Edilson da Funai. Dois funcionários do Incra também usaram o nome do órgão em seu registro, Salete Maria de Boni (PT), a Salete do Incra, que concorre em Terra Nova do Norte e Orcírio Echeverria Pleutin (PT), o Orcírio do Incra, por Vila Bela da Santíssima Trindade.

A autarquia mais mencionada pelos candidatos em todo o país é o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que, em Mato Grosso, também conta com 2 candidatos a vereador por Rosário Oeste, Armindo Salvador de Moraes (PDT), o Armindo do INSS e por Carlinda, Adelson da Silva Rezende (PRP), o Adelson do INSS. Além deles, outros 92 servidores registraram o nome do órgão para disputar as eleições no Brasil.

De acordo com a proposta da AGU, aqueles que se utilizaram do nome de entidades públicas para se beneficiar do trabalho da autarquia para ganhar apoio junto ao eleitorado, poderão estar sujeitos a penas de prestação de serviços comunitários a até 6 meses de detenção.

O maior número de registros de candidaturas com nomes de entidades públicas foi identificado em Minas Gerais, onde 35 recorreram a este artifício, seguido por São Paulo, com 29. Dentre os 210 postulantes a cargos públicos nestas eleições que se associaram às autarquias, 97,16% disputam o cargo de vereador.

Sissy Cambuim, Repórter do GD
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario