Gilmarzinho e o atual prefeito José Carlos polarizam em Nobres

Com as convenções realizadas no sábado, 30 de junho, pela manhã e a tarde, definiu-se o que todos já sabiam, que apenas dois candidatos disputariam as eleições em Nobres, o empresário Gilmarzinho da Ecoplan e o atual prefeito José Carlos da Silva, ambos do PSD (Partido Social Democrático) e PP (Partido Progressista), respectivamente, reforçados em coligações com partidos nos quais encontram-se ancorados ex-prefeitos e ex-vice prefeitos, casos específicos de Devair Valim de Melo (DEM) e Flávio Dalmolin (PR).

Gilmarzinho teve o nome homologado na convenção do PSD, realizada em 30 de junho nas dependências da Câmara de Vereadores, quando exatos 55 convencionais votaram favoráveis ao seu nome e à formalização de coligações. 
Silvia_e_Gilmarzinho_640x360

Com Gilmarzinho do PSD estarão o PR, PSB, PHS, PSDB, PT, PRP e PPS e a coligação deverá ser registrada com o nome de "Nobres nas Mãos de Quem Sabe". A candidata a vice de Gilmarzinho foi confirmada e é Silvia Martins Dalmolin (foto), esposa do ex-prefeito Flávio Dalmolin, que exerceu dois mandatos em Nobres (2001/2004 e 2005/2.008).
No PP do prefeito José Carlos, estão os reforços do DEM, PMDB, PDT, PSC e PTN e a convenção foi realizada no ginásio municipal "Josefa Fialho", à avenida Audoreste Machado de Faria, enquanto outros partidos realizaram as convenções no mesmo dia em locais diferentes. 

Caso do DEM, que realizou convenção em 30 de junho, pela manhã, no Centro Comunitário. O vice-prefeito do candidato José Carlos da Silva é Ney José de Campos, ex-vice de Flávio Dalmolin entre 2001 a 2004.
Os candidatos já ensaiam discursos e devem ser pontuados por tons críticos e o prefeito José Carlos da Silva parece disposto a destilar o seu veneno contra os seus criadores políticos, professores Neko e Evandro, que permaneceram filiados ao PP.

No PSD, cuja coligação será registrada no período determinado pela Justiça Eleitoral, Gilmarzinho da Ecoplan, foi incisivo ao afirmar que anda estranhando que em 2.008 tinham pessoas que não conseguiam abastecer o próprio carro por alegada falta de dinheiro e agora anda esbanjando dinheiro. Gilmarzinho pede atenção para esse detalhe e cobra investigação sobre a procedência desse dinheiro que está sendo utilizado em campanha.

Mais que o tom crítico que deve ser adotado, as propostas para o futuro devem prevalecer e aqui reportamos o que dissera, por experiência própria e por não gostar de ver o que está acontecendo, e que partiu exatamente do polêmico e controvertido ex-prefeito Devair Valim de Melo, ainda no ano passado, quando apontou que não sabia para onde iam parar 39 milhões de reais em um ano. Ele avaliou por alto e disse que seriam 40 milhões anuais, "torrados" em futilidades durante três anos.
Se ele já encontrou as respostas que buscava ano passado ninguém sabe.

Por: Benedito / Tribuna de Nobres
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario