Para Flávio Dalmolin, “rombo” no fundo de pensão não foi no seu governo

O ex-prefeito Flávio Dalmolin (foto) tomou conhecimento de que teve o nome citado durante a assembleia geral do funcionalismo público municipal, realizada dia 09 de julho, à noite, e disse não entender o equívoco. O "empréstimo" ocorreu no ano de 1.997 e nesse período Flávio Dalmolin lembra que não era ele o prefeito, daí entender que a citação seja equivocada.
O "rombo" de R$ 283.000,00 na conta do PreviNobres, fundo de pensão do funcionalismo municipal de Nobres, ocorreu e deixaram essa conta para que todos os funcionários pagassem e alguém tinha que tomar uma atitude para que o fundo não fosse liquidado. Eleito prefeito em outubro de 2.000, Flávio Dalmolin chegou ao poder em 01 de janeiro de 2001, quando encontrou a máquina pública sucateada, inclusive o fundo de pensão, que foi encontrado praticamente zerado. "A providência que tomei como prefeito é a que resultou nesse saldo que está aí, após providenciar cálculo atuarial e profundo estudo de viabilidade para salvar o fundo", salienta Flávio Dalmolin.
Para Dalmolin, o "rombo" não pode cair no esquecimento e não se pode tentar livrar a 'cara' de quem praticou uma ação que à época teve aval da Câmara de Vereadores. "Na nossa gestão, os créditos ao fundo sempre foram respeitados e hoje há um saldo de caixa que poderia estar bem acima do que está não fosse aquela retirada que deixou o fundo praticamente zerado", apontou Flavio.
De acordo com o ex-prefeito, opiniões contrárias serão respeitadas, entretanto, é preciso avaliar se há verdade ou se quer fazer politicagem sobre coisa séria. "Reafirmo, não emprestei nada do fundo de pensão no meu governo, pelo contrário, busquei respeitar o funcionalismo público dentro das possibilidades do caixa e qualquer referência contrária terá sido ação do falar por falar", conclui Dalmolin.
"Não sou candidato a nada e nem quero debater com ninguém, prefiro ignorar certos posicionamentos, mas não deixo de lembrar uma citação popular que diz: 'não mexe com quem está quieto", conclui Dalmolin.



Por: Benedito / Tribuna de Nobres
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario