Técnicos do TCE-MT inspecionam obras em Nobres

Praca_J.Serra_640x480Ao tentar impor uma nova equipe de governo desde fevereiro de 2011 até hoje, a administração do prefeito José Carlos da Silva não se encontrou, ainda que os discursos sejam de otimismo e de acentuada "injeção de ânimo" sobre suposta mudança, pra melhor.


Com uma equipe de pessoas trazidas de outros municípios a integrar uma nova gestão administrativa, estas que não tem nada a ver com a realidade de Nobres, o resultado prático de tudo se redunda no Geo-obras, que já faz um bom tempo que não é alimentado e sem as informações necessárias no sistema, técnicos do TCE estão realizando verificação "in loco" das obras realizadas em Nobres. A checagem nas obras começa hoje e um dos problemas que pode ser verificado está à praça Josino Serra, apenas remodelada, mas com informações de que foi construída, tendo inclusive uma máquina da Prefeitura de Nobres (foto) sendo utilizada na obra com um operador do município.


Mais tarde, um outro equipamento, também locado pelo Executivo, foi visto prestando serviços na obra.
A mesma empresa que venceu a licitação da obra da praça Josino Serra é a que prestou serviços na projeção e execução da obra do Centro Comunitário que somente agora, a partir da segunda quinzena de julho, é que foi pintado.
Um funcionário, vindo do município de Nova Mutum, foi nomeado para o Geo-obras e seria o responsável pela alimentação do sistema com informações sobre as obras que foram executadas e que ainda estão em fase de execução, entretanto, o setor se apresenta ocioso e ninguém assume responsabilidade pela contratação do servidor.


Mas ainda há outras incongruências na gestão administrativa e uma delas está no descaso total em relação ao envio dos balancetes mensais ao Legislativo, apesar das cobranças que são feitas por determinados vereadores. Após matéria publicada neste sítio, dois dias após, eis que o balancete de abril foi apresentado ao Parlamento quando todos os vereadores estão em recesso e de olho na reeleição.
Ainda não se estabeleceu em Nobres um modelo de gestão administrativa que ao menos respeite a Lei de 



Responsabilidade Fiscal e, acima de tudo, respeite também ao cidadão que paga os seus impostos. Vale lembrar, pela centésima vez ou mais, que há a retenção dos valores pertencentes ao fundo de pensão que não são creditados na conta do fundo, o que suscitaria uma tomada de contas no sistema, de modo geral, ampla e irrestritamente, para se informar aos aposentados e aos futuros aposentados como andam as contas e se há confirmação da apropriação indébita aludida pelo sindicato classista através da sua assessoria jurídica.


Negar que Nobres vive uma balbúrdia administrativa sem precedentes, os empréstimos bancários realizados na calada da noite em nome de alguns servidores públicos municipais à revelia dos titulares das contas/salários são a melhor avaliação dessa dura realidade.
Clamar aos céus e ainda cogitar que a "equipe" lá do alto não esteja ocupada para atender aos pedidos dos nobrenses, não seria pedir demais quando temos tão pouco a oferecer?



Por: Benedito / Tribuna de Nobres
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario