O cerco se fecha contra o governo municipal em Nobres

Naveg_2_640x450As notícias ruins só estão começando e a administração municipal de Nobres parece acuada diante de tanta insatisfação popular. Sítios noticiosos, locais e regionais, divulgam informações que levam a um estado de descrença no governo do prefeito José Carlos da Silva de resultados nefastos para a comunidade.


Talvez, as informações mais preocupantes partam mesmo do sindicato que representa a classe dos servidores públicos municipais, onde se aponta o inexplicável "sumiço" do dinheiro da folha de pagamento, sempre paga com atraso, segundo faz divulgar a líder sindical Lucidalva Gomes. (Foto: Reprodução da página do site "www.navegadormt.com".
E para piorar, as informações já foram parar no Ministério Público, junto ao Parlamento municipal e se espraia pela cidade através das páginas de relacionamento social. O portal de notícias www.navegadormt.com dá ênfase ao que diz a líder sindical: "Ela informa que o sindicato já protocolizou representações ao Ministério Público Estadual (MPE) e à Câmara Municipal de Nobres – os servidores municipais querem que os casos sejam investigados por meio de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) e inquérito civil público.


Ao todo, a Prefeitura Municipal de Nobres possui hoje cerca de 500 servidores – e folha de pagamentos de aproximadamente R$ 1,2 milhão.
Com arrecadação superior a R$ 3 milhões, não há justificativa para atraso de salários ou retenção de valores descontados em folha que deveriam ser repassados ao fundo previdenciário e à instituição financeira na qual os servidores contrataram empréstimos via consignação salarial", diz Lucidalva Gomes ao sítio noticioso.
Silvestre_S._Campos_415x480O quadro econômico é grave e o vereador Silvestre Campos (PR), o primeiro a levantar a questão, que é bastante polêmica, acredita que o desfalque nos recursos do fundo de previdência ultrapasse ao um milhão de reais, sem os juros correspondentes sobre os valores patronais e do funcionalismo.
Indiferente a tudo o que ocorre ao seu redor e influenciado pelo seu "staff" de governo, o prefeito José Carlos da Silva segue em campanha para um novo mandato.
Já os servidores públicos, amargam dias de penúria e pagando juros e correção monetária por atraso em suas dívidas com água, luz e junto ao comércio e lojas.

A reação mais imediata viria do Parlamento, através da proposta de criação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Investigação) sobre os anunciados desfalques sobre os recursos que deveriam ir para a conta do fundo de pensão dos trabalhadores. Entretanto, dificilmente se terá maioria para aprovação da criação de uma CPI com esse objetivo.
Não menos insatisfeitos estão os credores do governo, que fornecem produtos e serviços ao Executivo municipal, e não recebem e nem sabem quando vão receber. Fala-se em moratória junto ao comércio.

Do: Tribuna de Nobres
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario