Revendedoras começam cobrar mais caro pelo gás em Mato Grosso

O consumidor deve começar a pagar de 7,5% a 9,5% mais caro pelo gás de cozinha, a partir deste final de semana, em todo Estado. Os percentuais são estimados pelo Sindicato dos Revendedores de Gás em Mato Grosso (Siregás), com o "repasse" ao preço final, do aumento nos custos operacionais, o encargos dos trabalhadores, a carga tributária, o reajuste feito pelas distribuidoras, além da inflação.

O assessor jurídico do sindicato, Eduardo Souza explicou, ao Só Notícias, que até então, as empresas evitavam repassar os aumentos ao consumidor final, mas que no entanto, a medida acabou sendo necessária. "Já nesta segunda-feira (10) começou a valer ao aumento das engarrafadoras repassados às revendedoras e, até onde sabemos, varia entre R$ 1 e R$ 2", disse ele. "No transporte, também houve o aumento no diesel há algum tempo, que não estava sendo repassado", acrescentou.

Eduardo destacou que apesar da expectativa pelo aumento no preço do gás começar ser aplicado de forma geral neste final de semana, algumas empresas, em Cuiabá e Várzea Grande, por exemplo, já o fazem. Na última pauta aprovada, o preço médio do botijão sugerido no Estado foi R$ 49,22, no entanto, apesar disso, o assessor apontou que há variação nos municípios. "Em Cuiabá e Várzea Grande, por exemplo, R$ 45 ou R$ 46. Já em cidades mais do interior, até R$ 57".

Os novos preços do gás começam ser aplicados em todo país e como não há norma regulamentadora, os sindicatos nos estados estimam o aumento. No Estado de São Paulo, por exemplo, o Sindicato das Revendedoras de Gás Liquefeito do Petróleo do Interior aponta uma ata entre 5% e 7%.
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario