Jardim Petrópolis, o bairro sem estrutura e abandonado

Dizer que o município de Nobres vive o fim de um de seus piores governos em todos os tempos, seria uma redundância da realidade. Um desastre administrativo e dias de vingança contra o povo e o funcionalismo público, é o que vemos bem diante dos olhares perscrutadores e da complacência contra um estado de coisas que choca, e a maior delas, a posse do que ao povo pertence sem se dar nenhuma satisfação a ninguém. (Foto: As três imagens são da mesma rua, de frente à Escola "Dalci Candida de Souza, no bairro Jardim Petrópolis).

Nós, daqui deste periódico, tivemos a coragem de anunciar que seria "tarde demais" para vincular a imagem do prefeito José Carlos da Silva a de um gestor tocador de obras. E isso foi anunciado a quase 11 meses das eleições municipais de 2012. O resultado era tão óbvio que hoje vemos como se apresenta o bairro Jardim Petrópolis, abandonado e com as ruas aos frangalhos, sem que as obras de infraestrutura nos parcos metros de ruas pavimentadas aconteçam.
Rua_JP_2_360x480

A erosão toma conta das ruas e o pavimento asfáltico ameaça ceder, sem que a execução total da obra chegue ao fim. Do trecho entre a travessia urbana até nas proximidades do Supermercado Moraes, a rua principal que demanda do centro até aquele bairro está com valetas (sulcos na pista) abertas por conta da água das chuvas e nenhuma providência está sendo tomada.


O governo segue patrocinando vexames, um após outro, virando notícia interestadual com seus servidores trazendo "muamba" paraguaia para território brasileiro e o prefeito segue impassível ante os fatos. Parece não ver a hora de esse pesadelo acabar.
Mas, e a população do bairro Jardim Petrópolis, vai esperar até quando para ver a conclusão da obra daqueles poucos metros de ruas asfaltadas serem concluídas?


Realmente, o prefeito José Carlos da Silva não pertence a essa praia, a administrativa, e os fatos nos reportam àquele dia fantasioso de 29 de fevereiro de 2012, quando reuniu vereadores e a população na sede do Parlamento para anunciar balelas sobre o futuro de um governo que nunca deixou de ser capenga e só piorou após as mudanças radicais promovidas em janeiro de 2011.Rua_JP_3_360x480

Mas não é o bairro Jardim Petrópolis que retrata essa mudança pra melhor que nunca ocorreu. Vá ver, através do portal do Banco do Brasil, o dinheiro caindo na conta do município e os salários a esperar pela boa vontade do gestor para serem pagos. Vá ver como ficaram as obras de reestruturação do Posto de Saúde Central, onde chove mais lá dentro que fora da unidade de saúde. O caso não é de acompanhamento pelo GeoObras, mas é de polícia, seja civil ou fazendária, dado ao descaso e ao desperdício do dinheiro público ali praticado.


Mas, se isso ainda não for argumento para abrir os olhos das nossas autoridades, esperem para ver quando os números negativos desse (des)governo forem apontados no papel após a transição e com o fim da maquiagem que está sendo dada nos números frios da gestão que está chegando ao fim. Tudo para a insatisfação daqueles que o elegeram prefeito e votaram nele e mesmo para aqueles que nunca acreditaram nele como governante.
E a história é real, mas tão real, que um candidato com problemas de toda ordem na Justiça quase superou o adversário, José Carlos da Silva, quando ambos ficaram separados por apenas 44 votos de diferença. E quem "carregou" aquela candidatura nas costas?
Ah! Deixa pra lá, tanto "PRA NADA".


Por: Tribuna de Nobres
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario