Líder de gangue é condenado a 22 anos por assassinato

A Justiça condenou a 22 anos de prisão Joilson Antunes de Lima, de 22 anos, pelo assassinato de Jonas Wellington Fernandes do Nascimento, então com 18 anos, em 2010, em Cuiabá.

Jonas foi executado com um tiro nas costas e teve o corpo jogado no Córrego do Gambá, no bairro São Mateus. 

Joilson foi condenado também pela tentativa de assassinato contra o adolescente Ronil Azevedo da Cruz - na época, com 17 anos -, que foi baleado no braço, dias antes.

O crime ocorreu no dia 14 de outubro de 2010, numa briga de gangues envolvendo jovens dos bairros São Mateus, Dom Aquino e Campo Velho. 

A condenação foi anunciada no final da tarde desta quarta-feira (28) pela juíza Mônica Catarina Perri de Siqueira, presidente do Tribunal do Júri da Comarca de Cuiabá.

Segundo o promotor João Augusto Veras Gadelha, que atuou no caso, a pena deve servir de exemplo para muitos jovens - sobretudo, adolescentes - que deixam de estudar e acabam se envolvendo em brigas que terminam em mortes. 

“Acham que são jovens e podem tudo. Com uma pena dessas, eles caem na real”, disse Gadelha.

No entendimento do representante do Ministério Público Estadual, mesmo com penas altas, muitos rapazes continuam formando gangues e o resultado são mortes de ambos os lados.

Famílias destruídas

Durante o julgamento, o promotor levou uma reportagem recente do Midianews sobre o assassinato de Erick Cleiton Dias de Almeida, de 19 anos. 

Ele foi atingido por três tiros nas costas, em frente de sua casa, na Rua Comendador Henrique, no bairro Dom Aquino. A ideia foi mostrar aos jurados que essa guerra de gangues ainda não acabou, mas que as penas altas sirvam de lição.

João Gadelha lembrou que as mortes acabam destruindo famílias. “Quem sofre mais são as mães – a mãe de quem matou que vai ter que visitar o filho na cadeia e a mãe de quem morreu. E nesse caso, a vítima nem era o alvo, e sim o então adolescente”, observou.

Jonas foi morto por estar próximo de Ronil. Testemunhas disseram que Joilson passou na garupa de uma moto atirando e atingiu o então adolescente no braço e matou Erick.

Após o crime, Joilson fugiu para Rondonópolis (212 km ao Sul de Cuiabá), onde, meses depois, foi preso acusado de participar num assalto a um estabelecimento comercial. 

A partir da prisão, ele foi indiciado pelo assassinato e tentativa de homicídio.

Por se tratar de um crime recente, Joilson deverá cumprir três quintos da pena, o que equivale a mais de 12 anos. 

Como já cumpriu dois anos, ainda deverá ficar mais 10 anos encarcerado, até ganhar progressão de pena.

Por: Midia News
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario