Polícia Fazendária identifica mais 2 acusados de corrupção

A delegada Liliane Murata, responsável pelo inquérito da Operação Impostor, informou que mais duas pessoas envolvidas no esquema de fraude do IPTU se apresentarão à Delegacia Fazendária (Defaz) na próxima quarta-feira (22). Com isso, restarão três mandados de prisão em aberto.

Até o momento, 15 pessoas chegaram a ser presas. Como as prisões foram temporárias, todas foram liberadas.

Elas são acusados de operar um esquema que desviava dinheiro do setor de arrecadação do Palácio Alencastro.

Um relatório com as fraudes apuradas deve ser encaminhado à Prefeitura, para que novas auditorias sejam feitas, e o Município possa detectar mais “braços” do esquema e mensurar o prejuízo.

A Operação Impostor foi deflagrada no último dia 9, e desarticulou um esquema de corrupção na Prefeitura de Cuiabá, que causou um prejuízo de pelo menos R$ 1,3 milhão aos cofres públicos. 

Esse foi o valor monitorado pela auditoria do município em 10 dias, referente à arrecadação de IPTU.

Segundo as investigações, os funcionários ofereciam oito tipos de “serviços” fraudulentos, como baixa em dívidas tributárias e emissão de documentos falsos.

As propinas cobradas variavam entre R$ 100 e R$ 5 mil. Leia mais AQUI.

Entre os 15 presos da operação, 10 trabalham na Prefeitura da Capital. Os outros eram intermediários do esquema.

A denúncia foi feita pelo prefeito Chico Galindo (PTB), que, ao detectar as fraudes, levou o caso ao Ministério Público Estadual.

Leia mais AQUI para entender o caso.
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario