Servidores públicos ainda continuam sem receber. (Nobres)

Lucidalva_greve_640x480Reunidos outra vez na sede do Parlamento, alguns poucos servidores ganharam apoio do vereador Manoel Fermino Pinho, presidente do Legislativo, de quem cobraram firmeza no posicionamento. Além do vereador Fermino, se faziam presentes na manhã de hoje (29/11) os vereadores Adão, Bacalhau e Joel Júnior.


Segundo Fermino, o prefeito teria dito no dia anterior (28/11), à tarde, que já havia depositado o dinheiro da folha, não totalmente, e que a alguns já havia quitado o salário. Muitos disseram que não tinham recebido e outros perceberam que o número de manifestantes havia diminuído.


A solução encontrada foi se dirigir com um grupo de servidores até a casa do prefeito, aonde ele vem despachando com seus assessores embora os servidores quisessem a presença de Zé Carlos na Câmara de Vereadores.
Uma vez lá na residência do prefeito, o chefe de governo disse que não vê motivos para se expor publicamente e que não iria ter com ninguém, segundo a interlocutora dos servidores, Nadir da Silva. O prefeito José Carlos da Silva teria dito que "fez uma graça", pagando até adiantadamente e ninguém o procurou para agradecer e que agora vê muito barulho pelo atraso. Ainda assim, disse que vai "catar" dinheiro para tentar pagar a folha até o dia 30 de novembro. Mas o pagamento é relativo a outubro, com nova promessa de pagar todos até o final de dezembro.
Ainda no dia 28 de novembro, o secretário de Finanças, Valdinei, teria contatado com um vereador e apontou que nos caixas do município havia entrado mais de R$ 2.651.000,00. Já no dia de hoje, disse que parte dos recursos é destinada às empreiteiras.


Com a promessa de que o dinheiro vai cair na conta, os servidores resolveram aguardar até a noite, mas, ainda assim, não se tem alternativa, senão a de aguardar a decisão do governo, o mesmo que até a poucos dias atrás gastou mais de R$ 700 mil reais em festa do aniversário da cidade.
Os servidores se mostram revoltados e o alvo dos comentários mais insinuantes é o secretário de Finanças, preso recentemente em uma vistoria da PRF (Polícia Rodoviária Federal) na cidade de Naviraí, no Mato Grosso do Sul. São os ônus decorrentes de se comandar uma secretaria com ascensão financeira sobre todas as demais, fato que leva todos a acreditarem que Valdinei Sergio Muniz Albertoni seja o responsável direto pelo atual estado de coisas e repetir o que dizem acerca dele na cidade é como fazer chover no molhado.


Mas, a pergunta que se faz a todos os vereadores e ao próprio prefeito é a de como um município chega a um quadro econômico desses sem que se tenha ao menos um culpado? O caos econômico junto a Comunidade Econômica Européia não se justifica, já que também atingiria os bois nas fazendas da dupla Victor e Léo.
Vai ver que os servidores públicos municipais estão certos, ao "elegerem" o secretário municipal de Finanças, Valdinei, como o nome mais comentado em Nobres nos últimos meses, e com redobrada preferência desde o dia 14 de novembro, no 'day after' após a sua prisão, portando muamba vinda do Paraguai, segundo se ouve falar por aí, em cada esquina da cidade.


Após a fúria com que se lançaram em campanha política, pressionando os servidores a colocarem cartazes à porta  das casas, cooptando aliados com promessas, o resultado das urnas foi desastroso, causando uma das maiores rejeições que um governante já alcançou em Nobres, superando até mesmo o controvertido ex-prefeito Devair Valim nas eleições de 2.004. Os 1.216 votos de frente que selaram a sorte de Devair Valim em 2.004 não é nem de longe a soma dos 2.218 votos que decretaram a derrocada do governo do prefeito José Carlos da Silva nas eleições municipais deste ano, em 07 de outubro.
Não por acaso e também não deixando barato a derrota, o prefeito José Carlos da 
Valdinei_e_Z_C_594x480Silva e o seu chefe financeiro, o secretário de Finanças do município, Valdinei Sergio Muniz Albertoni (ambos, na foto), estão criando um estilo próprio de administrar, que vem desde janeiro de 2011 até agora, com apenas os dois como os responsáveis por tudo o que acontece no município, de certo ou de errado.

O resultado dessa dobradinha tem sido nefasto para a economia do município e nenhum dos dois vem a público ou emite nota oficial esclarecendo os fatos, inclusive como pessoas que reconhecidamente trabalharam na campanha aparecem como prestadoras de serviço ao município. Não esclarecem porque pessoas são demitidas e a elas não são pagos os seus direitos trabalhistas. Não apontam porque se estabeleceu o hábito de fechar as portas da Prefeitura de Nobres para adaptações, ao que, ninguém sabe até hoje.


Por essas e outras razões é que os servidores protestam como o fez no dia 28 de novembro de 2012, pela manhã, na sede da Câmara Municipal de Nobres, em assembleia, onde, alguns poucos demonstravam revolta e descontentamento com o quadro financeiro atual. Salários atrasados, demissões sem acertos financeiros e um volume de dívidas que beira o absurdo para um governo que deixou para realizar obras no último ano, numa tentativa clara de buscar enganar o eleitorado.
A líder sindical Lucidalva Gomes liderou o movimento com o grupo de servidores insatisfeitos e muitos são de opinião de que a greve deve continuar; já outros, querem acampar à porta do Executivo e até desejam fazer piquetes. O movimento foi acompanhado pelos vereadores Adão Valdinei, Bacalhau e Herberto Buri, mas eles não apresentaram as respostas que a classe trabalhadora queria ouvir. O clima é de muita insafistação.


Não deu certo e agora a sede do governo recebe dezenas de credores, diariamente, não bastassem os atrasos salariais que se assemelham a repetência dos fatos que marcaram a campanha política, numa das maiores pressões psicológicas já sofridas por muitos, obrigados a colocar cartazes de candidatos à porta das casas e a frequentar as reuniões políticas até que fossem vistas por um "apontador", além de uma suposta convocação feita pessoalmente por secretários e chefes de setor.


É um fim de governo dos mais desastrosos, capaz até mesmo de superar aqueles idos anos de 2.000, há doze atrás, quando os servidores públicos municipais de Nobres viveram dias de amargura por conta de um fim de mandato de amargas lembranças. Como tudo o que está ruim sempre pode piorar, o atual governo trata disso e já deseja derrubar o recorde da ineficácia administrativa, que o funcionalismo julgava enterrada no passado.
É como cantava Elis Regina: "Mas sei, que uma dor; Assim pungente; Não há de ser inutilmente; A esperança... Dança na corda bamba; De sombrinha E em cada passo


Dessa linha Pode se machucar... Azar! A esperança equilibrista Sabe que o show
De todo artista Tem que continuar..."
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

1 comentários :

visite Nobres disse...

Imoralidade política e descaso geral marcam o final da gestão do Prefeito José Carlos
Neste fim de ano no município de Nobres deverá ser negro,depois da derrota esmagadora nas urnas o atual prefeito municipal José carlos da silva abandonou suas obrigações e está fazendo pouco caso as suas responsabilidades de governante mostrando ser covarde e "banana" diante a tantos problemas existentes em nosso município.
Pelo o futuro da carreira política do atual prefeito é inegavél que as "cagadas" de hoje terá reflexo no amanha,onde sem vergonha na cara deixa uma verdadeira bagunça tanto na area administrativa,tanto na prestação de serviço para população.É uma desordem e falta de escrúpulos da atual gestão que com danos irreparáveis vem prejudicando servidores e por richa política vem castigando vários setores públicos,onde sem efetuar o pagamento dos fornecedores está faltando até merenda escolar principalmente na escola Dalcy Candida onde o bairro Jardim Petrópolis por ser carente muitas crianças tem uma refeição adequada na escola e faltando muitos vão sofrer sem a refeição.Não bastando tudo isso atrasos dos salários e na falta de manutenção e combustível no transporte escolar vem dificultando o deslocamento dos alunos da cidade e zona rural trazendo além da revolta atraso no andamento das aulas.
Então o retrato atual de Nobres é de "fim do mundo",ruas e avenidas cheias de buracos e escuras,hospital faltando médicos e medicamentos,atrasos dos salários dos funcionários públicos,falta de pagamento dos fornecedores,falta de merenda escolar e transporte,e sem falar nas obras com verba federal que estão praticamente inacabadas ou paralizadas.Esta é a imoralidade política junto com a gestão de 1996/2000 como a pior da história Nobrense,se foi erro darmos o poder a um bom médico na esperança de dias melhores em 2008,esse erro foi corrigido em 2012 onde o povo disse não ao pior administrador que já tivemos ,mesmo que outros passados também não fizeram nada,o médico transformado em prefeito decepcionou e além disso massacrou a população com atitudes de ditador e atrapalhadas e assim Nobres ficou mais uma vez no prejuízo.
O que indigna mais ainda é a falta de uma promotoria eficiente em investigar e punir governos de caráter duvidoso,são milhões que passam pelos cofres públicos e ainda deixam divídas incalculavéis,cade os orgãos competentes em fiscalizar a "lambança" que se transformou as contas da prefeitura,triste olhar para os responsáveis e ver em seus olhos a covardia e o desprezo conosco,e a culpa também é ter vereadores omissos e descompromissado com a população,o poder legislativo não atua como fiscalizador há anos,e ai cade a coragem dessa casa em lutar por perfeições,é lamentável mais é mais quatro anos que Nobres perdeu e concerteza teve alguém que ganhou com isso.
por Visite Nobres
28/11/2012 as 12:30hs


Leia mais: http://visite-nobres.webnode.com.br

Postar um comentário

Deixe seu Comentario