Governador descarta nomear Lúdio Cabral na Saúde

O governador Silval Barbosa (PMDB) descartou nomear o ex-vereador Lúdio Cabral (PT) como secretário de Saúde. De acordo com o governador, é "inviável" entregar a segunda maior pasta do governo ao PT, considerando que o partido já detém a Secretaria de Educação – que possui o maior orçamento do Estado.

“Pela competência dele, eu acho que seria interessante nomear o Lúdio como secretário de Saúde. Mas politicamente, nas composições que nós estamos fazendo com os partidos, não tem como o PT ficar com duas secretarias como a Educação e a Saúde”, afirmou Silval, em entrevista ao MidiaNews.

Silval descartou, também, a possibilidade de fazer um rearranjo de forças, e tirar o PT do comando da Educação. O partido detém o controle da pasta desde 2007, no segundo mandato do ex-governador Blairo Maggi (PR). 

“É uma operação muito complexa tirar um partido de uma secretaria dessa forma. Além disso, a Educação está bem engrenada, bem sintonizada. Conseguimos atender praticamente todos os pleitos – não da forma que nós gostaríamos, mas chegamos a passar a média nacional. Não adianta querer mudar muita coisa nessa área, que é muito complexa”, disse o governador. 

Nas últimas eleições municipais, quando Lúdio recebeu 140 mil votos e perdeu a prefeitura de Cuiabá para Mauro Mendes (PSB) no segundo turno, ele se tornou um dos nomes de maior expressão do partido em Mato Grosso. Desde então, a cúpula do PT vem tentando conseguir uma posição de destaque para ele. 

Existem rumores de que Lúdio poderia assumir uma secretaria-adjunta na Saúde, mas a direção do partido nega interesse no cargo, por considerar que seria uma posição menor para o petista, após o bom desempenho da última eleição. Desse modo, o PT busca contemplar Lúdio com uma vaga na Assembleia Legislativa, por meio de rodízio, já que ele é o quarto suplente da coligação PT-PR-PMDB.

Saúde fica com PP

Atualmente, a Secretaria de Saúde é comandada pelo PP, com Vander Fernandes, apadrinhado do deputado federal Pedro Henry (PP). Silval decidiu substitui-lo, após as contas da pasta serem reprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), que também recomendou o afastamento imediato de Vander.

O PP, então, indicou o médico e dono do Hospital Santa Helena, Marcelo Sandrin, para substituir Vander como Secretário de Saúde. No entanto, em meio às articulações de aliados do governo – principalmente do cacique do PMDB, Carlos Bezerra – Sandrin acabou “fritado” e desistiu de assumir o comando da pasta. 

Silval informou que está aguardando uma nova indicação do PP para a Secretaria de Saúde. “Eu pedi para o PP indicar um nome o mais rápido possível. Se eles não indicarem logo, eu mesmo vou indicar um nome para lá, que eu preciso dar uma melhorada”, disse.


Por: Midia News
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario