Assembléia vai fiscalizar obras da Copa em Cuiabá


LAÍSE LUCATELLI
Midia News
O presidente da Assembleia, José Riva (PSD), informou que o Legislativo vai fiscalizar "de perto" a execução das obras da Copa do Mundo de 2014 em Cuiabá e Várzea Grande - em especial o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). 

Nesse sentido, o deputado deve determinar a abertura de um processo licitatório para a contratação de consultoria técnica, com o objetivo de fazer a fiscalização das obras executadas pelo Governo do Estado.

A ideia é contratar uma empresa para prestar consultoria, ou mesmo profissionais especializados, para a execução dos serviços. 

A medida foi anunciada após um relatório do Tribunal de Contas do Estado apontar, na segunda-feira (4), que 22 das 24 obras da Copa estão atrasadas. 

A Arena Pantanal, que terá quatro jogos do Mundial, em junho do ano que vem, segundo o TCE - órgão que é ligado ao Poder Legislativo -, teve apenas 37,41% das obras executadas, até o final do ano passado, enquanto a Secopa garantia que esse percentual era de 55%.

“O TCE é o órgão auxiliar da Assembleia. Então, temos que nos valer do relatório para fiscalizar a execução das obras. E, se quisermos acompanhar mais de perto, temos que buscar ajuda especializada. Temos que fazer uma medição paralela. Quem de nós tem condições de afirmar que a Arena está com 50% das obras, por exemplo? Eu não tenho”, disse Riva. 

“No caso do VLT, que é uma obra diferente, é ainda mais difícil. Precisamos de alguém que tenha conhecimento profundo disso, e no Brasil são poucos. Já chamamos três pessoas desse setor para fazer uma avaliação, dizer o que é possível e o que temos condições de fazer”, observou o deputado.

Riva informou que ainda está avaliando o custo-benefício para verificar se é mais viável fazer uma licitação e contratar uma empresa, ou uma equipe de engenheiros para fazer o acompanhamento das obras, que seria incluída na folha de pagamento do Legislativo. 

O presidente da Assembleia negou que essa providência seja uma ingerência do Legislativo no trabalho do Executivo. 

“O TCE é o órgão auxiliar da Assembleia, e a Assembleia tem a obrigação principal. Se algo der errado, vão culpar o Poder, e não o TCE. Eu vou ter uma dor de cabeça danada com o VLT, se der algo errado, porque eu fui um dos que mais defenderam a implantação do sistema de transporte coletivo para a Copai”, disse Riva.

Entenda AQUI a polêmica sobre as obras da Copa em Cuiabá.
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario