Em 2 meses, MT tem 9.389 casos suspeitos e 9 mortes

As notificações de casos de dengue, nos dois primeiros meses de 2013, aumentaram em 149%, em comparação com o mesmo período do ano passado. 

De 1º de janeiro a 14 de fevereiro, Mato Grosso registrou 9.389 casos suspeitos da doença. 

No mesmo período de 2012, o registro foi de 3.762 casos suspeitos. 

Somente na última semana, foram notificados mais três mil novos casos no Estado. Oito deles são de estágios graves da doença. 

Em Cuiabá, 156 casos de dengue foram notificados na última semana. Ao todo, a Capital registra 452 notificações, desde o início do ano. 

Das notificações em todo o Estado, nove ocorrências são de óbitos. Dois destes foram confirmados nas cidades de Jaciara (Sul) e Juara (Norte de Mato Grosso). 

Outros sete casos estão sendo investigados. Campo Novo dos Parecis (2), Primavera do Leste (1) e Cáceres (1), Alta Floresta (1), Campo Verde (1) e Sinop (1). 

Dengue no interior 

Rondonópolis (212 Km ao sul de Cuiabá), Sinop (500 km ao Norte) e Várzea Grande (área metrolitana de Cuiabá) continuam sendo as cidades consideradas críticas na quantidade de casos. 

Em Rondonópolis, o número de notificações é de 776 casos. 

Em 7 de fevereiro, a estudante de enfermagem Gleiciely Lemos de Souza moradora de Sinop, morreu aos 22 anos. 

No laudo médico, entregue à família, entre as causas da morte, aparecem insuficiência cardíaca e dengue complicada. 

A família relatou que, quando a estudante começou a sentir os primeiros sintomas, cerca de uma semana antes de morrer, ela fez um exame a pedido de um médico do Hospital Regional de Sinop, que não constatou nenhuma doença. 

A jovem recebeu uma receita com alguns medicamentos, entre eles um indicado para vômitos e náuseas e outro para regularizar a flora intestinal. 

Os sintomas pararam por alguns dias, mas a jovem logo voltou a se sentir mal, foi internada e acabou morrendo. 

Sorotipo 4 
A Secretaria de Saúde do Estado (SES) informou que uma das causas desse aumento significativo é a presença do sorotipo 4 da doença, que circula no Estado desde 2012. 

A explicação da Vigilância Epidemiológica é de que, pelo fato de parte da população já ter contraído dengue de outros sorotipos adquiriu imunidade. 

Em contrapartida, 100% da população são suscetíveis ao sorotipo 4, fazendo com que a ocorrência de novos casos aumente. 

A principal característica do sorotipo 4 é a possibilidade de atingir pacientes que já tiveram dengue de outros sorotipos, o que faz dele ainda mais forte. 

Recomendações aos municípios 
A SES recomenda aos municípios que desenvolvam uma série de ações contidas no plano de contingência para prevenção e controle da dengue. 

Dentre as ações, estão: aumentar os trabalhos de notificação; investigação de casos e monitoramentos sempre de forma oportuna; definir estratégias para redução da força de transmissão da doença por meio do controle de vetor e de seus criadouros; sistematizar atividades de mobilização junto a sociedade; fortalecer a articulação das diferentes áreas de serviços, visando a integralidade das ações para o enfrentamento da doença no reforço as ações de articulação intersetorial em todas as esferas de gestão. 

Prevenção em casa 
Combata os focos do mosquito em sua casa, seguindo as seguintes orientações: 

Limpe calha dos telhados
Limpe os pratinhos dos vasos de plantas
Mantenha piscinas limpas
Não deixe formar poças d’água
Elimine qualquer tipo de material que possa acumular água
Garrafas ou recipientes sempre virados de boca para baixo
Pneus mantidos em locais cobertos para não acumular água
Tampe bem as caixas d’água e os poços


Por: Midia News
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario