Flagrante do Ibama/MT impede o desmatamento de 200 hectares

A operação nacional Onda Verde, deflagrada este mês pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) em seis locais estratégicos com riscos de desmatamento ilegal na Amazônia, tem dois pontos localizados em Mato Grosso: Juína e Sinop. Na região de Juína as ações da Onde Verde tiveram início na semana passada (04) e já começaram a dar resultados positivos. 

No dia 11, durante o feriadão de Carnaval, agentes ambientais do IBAMA flagraram dois tratores de esteira iniciando o desmatamento de uma floresta dentro do Projeto de Assentamento Tibagi, no município de Brasnorte (MT), a 435 quilômetros de Cuiabá. Segundo informação coletadas pelos agentes, um produtor rural residente no município vizinho, Campo Novo do Parecis, “comprou” dois lotes do referido assentamento com o objetivo de implantar lavoura de soja na área. 

Segundo depoimento do proprietário dos máquinas, os trabalhos haviam começado no dia anterior. De fato, constatou-se que os tratores derrubaram apenas uma linha no entorno da área a ser derrubada. Na seqüência, com o uso do correntão toda a área delimitada seria desmatada. Com o uso de ferramentas de geoprocessamento, calculou-se o desmate de apenas 4,6 hectares. Todavia, se a equipe de fiscais não tivessem interrompido a ação, um total de 200 hectares de vegetação nativa teria sido derrubado. 

Os tratores de esteira, assim como um correntão com aproximadamente 50 metros e uma carreta tanque de combustível de 5000 litros, foram apreendidos. Os proprietários dos bens apreendidos e da área desmatada também foram autuados pelo Ibama.

A ação fiscalizatória, executada em pleno período de carnaval surpreendeu muitos moradores da região. Segundo o superintendente do Ibama/MT, Marcus Keynes, a presença ostensiva na região deverá evitar o desmatamento da vegetação nativa e, também, monitorar as áreas embargadas anteriormente. 

A operação Onda Verde não tem prazo para terminar e contará com cerca de 30 servidores de outros estados. Dados de satélites com maior precisão também serão utilizados. Se antes o sistema apontava áreas degradas a partir de 30 metros quadrados, hoje poderão ser detectadas a partir de cinco metros quadrados. E os agentes do Ibama estarão prontos para agir na região.

Por: Informações do IBAMA + Midia News
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario