Gaeco prende advogadas acusadas de integrar quadrilha


Várias pessoas foram presas, no início da manhã desta segunda-feira (4), numa operação realizada pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual (MPE). Entre os detidos, estão duas advogadas, identificadas  como Jaqueline Moreira Martins Pacheco e Eliane, que não teve o sobrenome revelado.

O caso envolve roubo a bancos, inclusive, na modalidade que ficou conhecida como "Novo Cangaço", e a investigação foi comandada pela promotora Maisa Fidelis Gonçalves Pyrâmides, do município de Comodoro (644 km a Oeste de Cuiabá).

Segundo as informações, as advogadas prestariam serviços a alguns dos suspeitos de participação em assaltos. A suspeita é de que elas estariam colaborando com os esquemas criminosos

Os acusados estão com mandado de prisão decretada pela Comarca de Comodoro.

As investigações do Gaeco iniciaram no ano passado.

Os presos estão sendo levados para unidades prisionais de Cuiabá.

Assalto em Comodoro
Em outubro do ano passado, um grupo formado por cinco ladrões invadiu duas agências bancárias - uma do Bradesco e outra do Bando do Brasil em Comodoro e fez vinte reféns, usados como "escudo humano", para garantir a fuga.
Eles levaram todos os malotes de dinheiro das agências e se esconderam num matagal, a cerca de cinco quilômetros da cidade. 

Por volta do meio-dia, fugiram levando os malotes das agências e 20 pessoas feitas de escudos humanos, para evitar a ação policial. 

Na sequência, os bandidos libertaram os 20 reféns e também as duas picapes utilizadas na fuga – uma S10 preta que foi incendiada e a Nissan Frontier prata que foi abandonada. 

Confrontos com a Polícia 

Todos os assaltantes que foram identificados como executores do assalto as agências em Comodoro morreram em confrontos com a Polícia Militar. 


No dia 30 de novembro,o fugitivo da Penitenciária Central do Estado (PCE) Adriano da Silva Menezes, o “Zóio de Boi”, morreu em tiroteio com os policiais, na região de na região do Lago de Manso (100 km ao Norte de Cuiabá), em Chapada dos Guimarães. . 

No dia 10 de novembro, policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) trocaram tiros com quatro suspeitos de participarem do assalto, que voltavam da região de Comodoro, em um Gol vermelho, na BR-364. 

Na ocasião, morreram Diego Alexsandro da Costa, 25, e Hermano de Araújo, 31. Eles moravam no bairro Cidade Alta, em Cuiabá. 

O terceiro assaltante, Antônio Nilson Ribeiro da Silva, o “Coruja”, foi preso em flagrante e o quarto ocupante do carro fugiu. 

Os quatro estavam num Gol vermelho, onde, além de um fuzil AK 47, os policiais apreenderam cerca de R$ 1,1 milhão roubados das agências bancárias de Comodoro. 

No dia 6 de dezembro, outras cinco pessoas morreram em confronto com policiais militares do Bope, na região do Manso. 

Um dos mortos é Josemar Ribeiro da Silva, o “Parazinho”, conhecido assaltante de banco, fugitivo da PCE e suspeito de ter participado do assalto a duas agências bancárias.

Jader Felipe dos Santos Cardoso, 23, Alex Leite dos Santos, 26, Eva Joyce Santiago dos Santos, 22, e a menor Karolaine Almeida Botelho, de apenas 12 anos, são as outras vítimas. A Polícia acredita que eles teriam ido resgatar Josemar, que estava escondido na mata.

Por: Midia News
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario