Levantamento: Diagnóstico mapeia indústrias no eixo da BR 163, Indústria de Nobres é uma das entrevistadas


Diagnóstico feito pelo Sebrae  em Mato Grosso das indústrias existentes no eixo da BR 163, que liga Cuiabá (MT) a Santarém (PA), aponta que 91% das empresas ouvidas são optantes do Simples Nacional e que 81% delas estão informatizadas em pelo menos uma área (administração, vendas, produção, etc). Participaram do diagnóstico 616 empresas instaladas nos municípios de Nobres, Nova Mutum, Lucas do Rio Verde, Sorriso, Sinop, Alta Floresta, Colíder e Guarantã do Norte. Os empresários responderam ao questionário padronizado contendo as áreas de cadastro, produção, gestão, comercialização e inovação.
A BR 163 é responsável pela integração do Centro-Norte ao Centro-Oeste e Sul do Brasil. “Trata-se de um projeto setorial coletivo, com um conjunto de ações e medidas para beneficiar as indústrias na região. O objetivo é desenvolver as micro e pequenas empresas por meio de capacitações e consultorias especializadas, abrangendo sustentabilidade, gestão empresarial, mercado, inovação e tecnologia, visando contribuir para o aumento da competitividade de forma sustentável”, detalha a diretora do Sebrae em Mato Grosso, Leide Katayama.
Oitenta empresas dos mais diversos setores, selecionadas a partir de chamada pública, estão participando do projeto. A iniciativa tem o objetivo de reduzir desperdícios e custos, aprimorar os processos de fabricação, melhorar a qualidade dos produtos, reduzir a ociosidade da capacidade instalada, incorporar novos métodos de gestão, estabelecer uma visão estratégica do negócio e melhorar o posicionamento de mercado. As ações já estão sendo desenvolvidas e se estendem pelo prazo de dois anos, com fim em agosto de 2014.
O estudo aponta ainda que 66% das empresas ouvidas não possuem equipes de vendas. Além disso, 72% realizam prospecções de novos clientes. Quase todos os empreendimentos (96%) sabem onde estão localizados os seus fornecedores e 76% disseram que não possuíam problemas com fornecedores. Os principais fatores que reduzem o tamanho do mercado dessas empresas são a falta da mão de obra, carga tributária, concorrência, preços da matéria-prima, saúde financeira da empresa, excesso de oferta, falta de produção e capital de giro, logística, etc.
Quanto ao porte das empresas pesquisadas, 53% são microempresas, 20% microempreendedores individuais, 19% são empresas de pequeno porte e 8% de médio e grande porte. Sobre o perfil dos proprietários das empresas ouvidas, 78% são do sexo masculino e 24% feminino, sendo que 61% dos entrevistados afirmaram ser empresários há menos de dez anos e 39% atuam há mais de dez anos.

Por: Administradores
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario