Dia da Escola é "comemorado" pelo seu abandono, Rosário é citado em uma das escolas precárias


As condições alarmantes de alguns colégios em Mato Grosso são variadas, desde escolas que estão a espera de reforma, passando por reformas mal feitas, prédios provisórios sem condições mínimas para permitir os estudos e unidades pequenas que não comportam mais a demanda de alunos, são o reflexo da falta de compromisso do Poder Público com o ensino público, que “celebra” nesta sexta-feira,15, o Dia da Escola. 
 
Sem festa, o Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) reivindica mais investimentos para este espaço público de maior importância para o desenvolvimento da população. Entre as 720 unidades da rede estadual localizadas na zona urbana e rural são inúmeros os problemas de infraestrutura que comprometem o aprendizado de crianças, adolescentes e o trabalho dos profissionais da educação.
 
O Sintep/MT aponta que nem mesmo as exigências mínimas dos prédios, com bibliotecas, refeitórios, cozinhas e salas de aula adequadas que permitam o desenvolvimento pedagógico, são adequadas para atender as cerca de 500 mil pessoas, entre alunos e funcionários que dependem diretamente do ambiente escolar somente na rede estadual. São cerca de 450 mil estudantes matriculados e 50,6 mil técnicos, apoios administrativos e professores que circulam, estudam e desenvolvem atividades educativas.
 
Os problemas não estão restritos à Capital e Várzea Grande. Cidades que servem de referência nas regiões como Sinop, Sorriso e Barra do Garças, também estão no rol de escolas em condições críticas. Outros municípios como Pontes e Lacerda, Peixoto e Azevedo, Claudia, Colniza, Vila Rica, Jaciara e Rosário Oeste possuem unidades em funcionamento em prédios precários.
 
Mesmo as escolas construídas nos últimos anos estão em péssimas condições. Os colégios fundados a partir da última década, apesar de estrutura mais nova, já apresentam necessidade de reformas. O Sintep/MT diz que a qualidade empregada nas obras precisa ser revista, da mesma forma que a contratação das empresas que estão sendo responsáveis pelas construções e reformas.
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario