Advogado bicha, presidente do TRE admite que fala em áudio é dele

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso, Juvenal Pereira da Silva, admitiu ser verdadeiro o áudio gravado, em sessão de julgamento do dia 11 de julho, em que ele aparece chamando um advogado de “bicha”. 

Entretanto, segundo o magistrado, a referência não foi para nenhum advogado presente à sessão ou que esteja atuando na Justiça Eleitoral.

“A sessão já estava suspensa e a referência foi a uma amigo de whatsApp [ferramenta de conversa via celular], que ficava enviando mensagens no celular. Não tem nada que envolva questão eleitoral”, afirmou.

Juvenal Pereira explicou ainda que, a todo instante, verificava o celular, em decorrência do fato de que a mãe dele estava internada em um hospital em Rondonópolis (212 km ao Sul de Cuiabá) e corria risco de morte.

“Eu estava checando o meu celular para saber notícias da minha mãe, pois estava com viagem marcada para aquele dia. Foi quando recebi a mensagem e acabei falando. Mas, não é referente a ninguém que estava na sessão, e sim a esse amigo”, destacou.

Para o magistrado, o fato não passou de um mal entendido. Ele disse ainda que não há como ter se referido a advogados presentes na sessão, porque não tem contato com eles.

“Os advogados procuram sempre o relator. Não há contato comigo”, afirmou.

Polêmica

Por causa das declarações dadas pelo presidente, e que ficaram registradas no áudio da sessão, o advogado Wellington Cardoso Ribeiro, que estava presente no plenário no dia do incidente, afirmou que pretende ajuizar uma ação por danos morais contra o presidente do TRE.

Ainda nesta segunda-feira (19), o advogado vai se reunir com o desembargador para falar sobre as declarações.

Áudio público


O presidente também questionou o fato de que, somente, há mais de um mês do ocorrido o assunto se tornou público.

"O áudio estava disponível desde o mês de julho e só agora se tornou público. É estranho", disse.

Contudo, ele preferiu não comentar sobre a possibilidade de ter sido enviado para a imprensa por um servidor do próprio Tribunal.

Por Midia News
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario