Marido diz que jornalista foi "vítima" de grupo de prefeito, foi montado uma estratégia

O empresário Geraldo Araújo disse que sua esposa, a jornalista Édina Araújo, foi vítima de uma "armação", que teria sido arquitetada pelo grupo político do prefeito de Várzea Grande, Walace Guimarães (PMDB). 

Édina foi presa em flagrante por policiais civis, na tarde desta segunda-feira (11), acusada de tentativa de extorsão (leia mais AQUI). 

Araújo afirmou que a Polícia Civil foi "usada", indiretamente, pelo grupo supostamente interessado em prejudicar a jornalista, proprietária do site VG Notícias, que faz oposição a Walace. 

“Eles armaram tudo e chamaram a polícia, que fez o seu papel institucional de prender”.

"Esse Carneiro era dono de uma lojinha de calcinha e sutiã. E, de repente, ganha uma licitação de R$ 10 milhões da prefeitura. Temos todas as provas que foram anexadas como denúncia, junto ao Ministério Público de Contas"
O delegado Alexandre Vicente, da Central de Flagrantes, interrogou a jornalista na noite desta segunda.

Conforme o marido, a jornalista está "tranquila" e "confiante" de que conseguirá esclarecer os fatos.

Ele afirmou que a denúncia de extorsão é improcedente, e serviu como retaliação, já que o site denunciou a construtora Carneiro & Carvalho Ltda., do empresário José Henrique Carneiro Carvalho, que fez a denúncia, por participação em uma licitação com suspeita de fraude.

A informação, segundo Geraldo Araújo, é de que a empresa de Carneiro teria assumido diversas obras da prefeitura de Várzea Grande sem passar por um processo de licitação. 

“Esse Carneiro era dono de uma lojinha de calcinha e sutiã. E, de repente, ganha uma licitação de R$ 10 milhões da prefeitura. Temos todas as provas que foram anexadas como denúncia, junto ao Ministério Público de Contas. Como ela ia fazer extorsão de algo já denunciado? Foi tudo armação de um flagrante”, disse. 

Ele disse que faz locação de ônibus para o dono da Gráfica Delis, onde Édina foi presa.  

“Ela foi à sede da gráfica, que nada tem a ver com esse empresário (José Henrique Carneiro). Nós rodamos todo o nosso material na Gráfica Delis e ela fez as composições dos valores que tinha que receber dele. Os cheques são referente aos convites de uma premiação que ela organizou, na última sexta-feira (8), à locação de ônibus e banner (publicidade) no site”, afirmou. 

Conforme Araújo, o dono da gráfica, chamado Roni, teria feito parte do suposto esquema pelo prefeito, para prejudicar a jornalista. “O Roni é ligado a esse empresário (José Henrique Carneiro) e tinha tentado falar comigo sobre dinheiro”. 

Tiros no site
O marido da jornalista diz que não é a primeira vez que eles recebem represálias por denúncias contra a administração da cidade. “Recentemente, a sede do site foi alvejada por vários tiros. Descarregaram uma pistola, para nos intimidar”, disse.

O ataque ao site foi no dia 6 de julho passado, por volta das 21 horas. Segundo apurado, os disparos foram feitos por um motoqueiro. Nenhum suspeito foi identificado e preso.


Por: Midia News
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario