"Lúdio é o candidato com condições de derrotar Taques"

O presidente do PMDB em Cuiabá, Clóvis Cardoso (PMDB), defendeu a candidatura do ex-vereador Lúdio Cabral (PT) a governador, nas eleições deste ano. 

Na avaliação do peemedebista, Lúdio é o nome da base governista com condições de derrotar o pré-candidato da oposição, o senador Pedro Taques (PDT). 

A aliança encabeçada por Taques engloba partidos de oposição ao Governo de Silval Barbosa (PMDB). Muitos deles também são oposição ao Governo Federal. 

“Nas pesquisas, Lúdio está subindo em Cuiabá e logo ultrapassará Taques. E no interior, o senador não tem quem faça campanha para ele. Hoje, Lúdio é o candidato com condições de derrotar o Taques. O cenário se modificou quando ele fez o anúncio que poderia ser candidato a governador”, disse o presidente do PMDB em Cuiabá. 
"Nas pesquisas, Lúdio está subindo em Cuiabá, e logo ultrapassará Taques. E no interior, o senador não tem quem faça campanha para ele"

O petista é um dos nomes que serão avaliados em pesquisa qualitativa encomendada pela aliança de nove partidos que pretendem montar um palanque governista nas próximas eleições – PMDB, PT, PSD, PR, PROS, PC do B, PP, PRB e PSC. 

A pesquisa deve ficar pronta no começo de março próximo.

Pesquisa

Além de Lúdio, o PT indicou o juiz federal Julier Sebastião da Silva para ser avaliado. O PMDB indicou o conselheiro Antônio Joaquim para a pesquisa - mas, em nota, ele anunciou que desistiu do projeto -, enquanto o PSD indicou o vice-governador Chico Daltro (PSD).

O PP apontou o produtor rural Eraí Maggi, e o PR incluiu o nome do pecuarista Maurição Tonhá.

A aliança ainda está em fase de discussão inicial, e ainda pairam muita dúvidas sobre a continuidade dela – especialmente com relação ao PR, que “flerta” com a oposição, mesmo estando na situação e sendo um dos maiores partidos da máquina governamental.

Alguns partidos, porém, garantem que estão definidos. PMDB e PT já decidiram caminhar juntos nas eleições deste ano em Mato Grosso, seguindo a aliança nacional que dará sustentação à campanha de reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT).

Outras duas siglas que já fecharam apoio a Dilma são o PC do B e o PSD, e os quatro partidos devem continuar juntos no Estado.

Por: Midia News
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario