Professora é agredida com lata na cabeça

Uma professora da rede estadual foi agredida dentro do pátio da escola e chegou a ficar inconsciente, depois de ser atingida por objeto contundente na cabeça. O ato violento, praticado possivelmente por um dos 500 alunos da unidade, aconteceu por volta das 10h30 da manhã de sexta-feira (20), quando as turmas do ensino médio e fundamental participaram da abertura da olimpíada estudantil na Escola Estadual Clenia Rosalina de Souza, no Jardim Itamarati, em Cuiabá.
A vítima da agressão foi a professora e bacharel em Geografia Linda Eva Servilha Cardoso, 56. Ela fazia o boletim de ocorrência da lesão corporal, na manhã de sábado, para que a Polícia Civil passe a investigar mais este caso de agressão.
A professora relata que os alunos e professores haviam retornado do desfile pelas ruas no entorno da escola e estavam enfileirados no pátio para que fossem apresentados os gritos de guerra de cada equipe.
Foi quando ela sentiu uma pancada forte na cabeça, muita dor e passou a ficar atordoada. Percebeu em seguida o sangue escorrendo pelo rosto e desmaiou. Ela narra que só recuperou a consciência quando recebia atendimento médico na Policlínica do bairro Planalto.
Recebeu suturas no corte aberto pelo objeto, no couro cabeludo. Disse que fez uma radiografia que inicialmente não apresentava um quadro grave. Mesmo assim temia ficar com sequelas pois 24 horas depois sentia que o olho esquerdo estava inchado e avermelhado, como resultado do golpe.
A vítima foi levada para atendimento médico por outros professores e disse que foi informada por eles que o objeto que a atingiu seria uma lata de um spray, usado para colorir cabelos. Ela teria sido lançada para o alto e ao cair em velocidade provocou o ferimento. A professora, que atua no estado há mais de 15 anos e há 4 anos na escola, disse que o que aconteceu com ela é mais um dos casos de violência contra professores e funcionários de unidades de ensino.
Cita o fato de que os veículos de professores não ficam mais estacionados na área de circulação de alunos, pelo fato de serem constantemente alvos de vandalismo. Cita que no caso dela foi a primeira vez que foi diretamente atingida.
Assegura que dentro da escola existem alunos maravilhosos, mas infelizmente, um grupo menor acaba se sobressaindo com este tipo de ação que prejudica o restante da comunidade. Depois de registrar o boletim a professora foi submetida a exame de lesão corporal, que será anexado ao inquérito policial que ficará a cargo da 2ª Delegacia do Carumbé.
Linda lamentou o descaso com a direção da unidade, que em momento algum a procurou. Tanto que ela praticamente foi abandonada na policlínica sem telefone e documentos, tendo dificuldade inclusive em manter contato com a família para pedir apoio.
Fonte: Silvana Ribas - GD
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario