Polícia Civil prende servidores acusados de vender CNH em Mato Grosso

Policiais civis prenderam nove de um total de 11 pessoas que tiveram a prisão temporária decretada por cinco dias, por envolvimento em um esquema de fraudes na emissão de carteira de motoristas, em Mato Grosso. 

Além das prisões, feitas em residências na Capital, cinco mandados de busca e apreensão foram cumpridos em autoescolas, sendo quatro em Cuiabá e uma na cidade de Cáceres (225 km a Oeste da Capital). 

Entre os presos estão dois servidores do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran-MT).

As prisões ocorreram na manhã desta terça-feira (22), durante a Operação "Narted" (a sigla Detran ao contrário), deflagrada pela Delegacia Contra Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz).

Segundo as informações, um servidor de Detran chefiava o esquema, que envolvia também funcionários e proprietários de autoescolas. 

Os pagamentos por carteiras de habilitação variavam de R$ 100 a R$ 3 mil.

Para a emissão das CNHs falsificadas, conforme a Polícia, havia a participação de outro servidor, responsável pelas provas práticas e que recebia propina para beneficiar alunos que se submetiam aos exames.

Conforme as investigações, existiam fraudes cometidas diretamente pelo servidor do Detran, onde o candidato não fazia nenhum tipo de prova ou exame. 

Para a compra integral da carteira, o interessado apenas entregava seus documentos e pagava R$ 3 mil ao servidor, que providenciava a emissão da CNH.

Havia também fraudes que contavam com ajuda de intermediários, como instrutores de autoescolas e agentes de pátio das provas práticas do Detran. Estes, segundo a Polícia, cobravam valores menores para "ajudar" o aluno a passar nos testes.

Crescimento patrimonial

Segundo a delegada Alexandra Fachone, da Defaz, as investigações iniciaram no segundo semestre de 2013, para desarticular esquema fraudulento de facilitações na aquisição de CNHs junto ao Detran-MT. 

A delegada acrescentou uma denúncia anônima informava que um funcionário do Detran, responsável pela emissão de CNHs, estava ostentando crescimento patrimonial incompatível com seu salário. 

A partir daí, os policiais conseguiram chegar à cúpula do esquema de falsificação.

Os mandados foram expedidos pela Vara Especializada do Crime Organizado, Ordem Tributária e Econômica e Administração Pública de Cuiabá.

 A Corregedoria do Detran está acompanhando a operação e auxiliando nas análises dos processos em andamento.

Os presos estão sendo interrogados na sede da Delegacia Fazendária. 

Segundo a delegada, dois deles foram liberados por contribuirem com informações. 

Os demais, ao final das oitivas, serão levados à Polinter em Cuiabá, para encaminhamentos a unidades prisionais.

Participaram da operação 27 policiais civis, entre delegados, investigadores e escrivães.

O trabalho contou com apoio da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) e da Regional de Cáceres.


Fonte: Midia News
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario