Arena Pantanal já custa mais de R$ 640 milhões ao Estado

Sede de jogos de campeonatos nacionais – além de quatro partidas da Copa do Mundo de 2014 e de um amistoso da Seleção Olímpica Brasileira –, a Arena Pantanal já consumiu dos cofres públicos 9% a mais do que o previsto nos contratos assinados pelo Governo do Estado.

Atualmente, já com reajustes feitos, o valor global dos três contratos que completam a obra – com as empresas Mendes Júnior (construção), Consórcio C.L.E. (Tecnologia, Informação e Comunicação) e Kango Brasil (assentos e mobiliário) – é de R$ 590 milhões.

Segundo dados da Secopa, até o momento já foram pagos R$ 644 milhões para a construção da arena que, até hoje, não foi recebida pelo Governo do Estado. A maior parte refere-se à estrutura física do estádio, sob responsabilidade da Mendes Junior.

Ao MidiaNews, a Secopa explicou que o valor pago pela estrutura da obra já supera o valor contratual em razão do que é previsto na Lei 8.666, que trata de licitações.

De acordo com a pasta, a legislação afirma que toda obra, a partir de um ano de execução, sofre reajustes nos valores pagos a cada medição, a fim de acompanhar a inflação e a mudança de valores, no mercado, dos materiais utilizados na construção.
Josi Pettengill/Secom-MT
Amistoso da Seleção Olímpica do Brasil jogou na Arena Pantanal: faltou água em vestiários e banheiros

Iniciada em 2010 com a demolição do antigo Verdão, a obra enfrentou algumas dificuldades ao longo de sua execução – como a saída da Santa Bárbara do consórcio construtor – e, até hoje, não foi entregue à Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa).

Isso resultou em atraso de pelo menos 22 meses em relação ao cronograma inicial, que previa a entrega em dezembro de 2012.

Aditivos na construção


Em setembro passado, a Construtora Mendes Junior, responsável pela execução da obra, assinou seu 10º aditivo contratual junto à Secopa, a fim de estender, mais uma vez, o prazo de entrega da obra, incialmente orçada em R$ 342 milhões, e que passou a custar R$ 454 milhões.

A vigência do certame, porém, expirou no último domingo (26), sem que a obra fosse efetivamente entregue ao Estado.

De acordo com a Secopa, o prazo adicional era necessário para que o Estado tivesse tempo para averiguar toda a obra antes da emissão do Termo de Recebimento Definitivo da Obra.

Por enquanto, apenas o termo provisório foi assinado.

A pasta alegou, ainda, que nesse período seria feito o treinamento dos servidores do Estado para assumirem a gestão da arena depois que a construtora fizer a entrega da obra.
Usada durante a Copa do Mundo, em junho deste ano, a obra ainda não havia sido finalizada.

Atualmente, segundo a pasta, há alguns serviços relacionados à construção – da Mendes Junior – a serem finalizados, mas os detalhes não foram especificados pela assessoria.

Edson Rodrigues/Secopa
Arena Pantanal, durante a Copa do Mundo: estádio já custa mais de R$ 640 milhões aos cofres públicos
No entanto, o estado de conservação da área de lazer da obra – onde seriam montados possíveis choperias e um museu – foi bastante criticado pelo estado de abandono, meses atrás, bem como a falta de água nos vestiários e banheiros nos últimos jogos.

Assentos


Com um contrato firmado em R$ 17,9 milhões apenas para o fornecimento de 46,7 mil cadeiras para a arena, a Kango Brasil Ltda. trabalhou, recentemente, na mesclagem das cadeiras em tons claros e escuros nas arquibancadas, formando um mosaico.

A empresa também foi a responsável pela instalação das longarinas, estruturas que antecedem as cadeiras, e pelo fornecimento de 630 mesas para área de imprensa – durante a Copa – e 54 armários para vestiários.

TIC


Responsável pela implantação de Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC) no estádio, o Consórcio C. L. E. Arena Pantanal possui um contrato firmado no valor de R$ 98,1 milhões.

O consórcio é formado pelas empresas Canal Livre Comércio e Serviços Ltda. e Etel Engenharia Montagens e Automações Ltda e deve fornecer materiais e equipamentos para Sistemas de Telecomunicações; Sistema de TV (infraestrutura), IPTV e Signage; Sistemas de Segurança (CFTV, Controle de Acesso e Detecção e Alarme de Incêndio); Sistema de Sonorização e Telão/Painel Eletrônico (Giant Screens); Sistema de Automação Predial (BAS) e Sistema de Broadcasting (infraestrutura).

A obra


O Complexo da Arena Pantanal possui 34 hectares. Só o estádio compreende quase 104 mil m² desse espaço.

A parte interna conta com camarotes, espaço reservado à imprensa, banheiros, escadas de acesso e elevadores.

Quanto ao estacionamento, são 380 vagas dentro da Arena e mais 2,4 mil do lado de fora.

Os projetos de paisagismo são constituídos de lagos artificiais e escalinata – estrutura arquitetônica que funciona como ponto de encontro para os torcedores.

Uma grande passarela liga o estádio ao entorno, formado por uma área que pode ser usada para atividades esportivas e caminhadas e deverá contar com espaços que podem ser usados pelo operador do estádio como restaurante ou lanchonetes.

Fonte: Midia News
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario