Governo determina suspensão de mais cinco obras em MT

O Governo do Estado determinou a imediata suspensão dos serviços de pavimentação asfáltica e reconstrução de pontes de madeira em diversas regiões do Estado. 

O objetivo é evitar a prática de irregularidades em contratos que foram assinados durante a gestão do ex-governador Silval Barbosa (PMDB).

Ao todo, cinco contratos foram suspensos. A medida foi oficializada no Diário Oficial que circula nesta segunda-feira (12) e atende ao decreto 02/2015, assinado pelo governador Pedro Taques (PDT) e que determina que sejam realizadas auditorias e suspensão de todos os contratos firmados na gestão anterior, especialmente durante os oito últimos meses da administração anterior.

"Essa foi uma medida determinada pelo governador, de que todos os serviços que não sejam considerados essenciais sejam suspensos para terem seus contratos revistos"

“Essa foi uma medida determinada pelo governador, de que todos os serviços que não sejam considerados essenciais sejam suspensos para terem seus contratos revistos. Mas já entregamos um plano de serviços nas mãos do governador, para que obras como essas possam ser retomadas”, disse o secretário de Infraestrutura e Logística do Estado, Marcelo Duarte.

As obras suspensas são de responsabilidade das empresas Strada Incorporadora Ltda., Construmaná Construções Ltda. e Pantanal Engenharia e Construções Ltda.

Por enquanto, seguem suspensas a manutenção de rodovias que cortam os municípios de Cláudia, Colíder, Guarantã do Norte, Itaúba, Marcelândia, Matupá, Santa Carmen, Sinop, Terra Nova e União do Sul, em um trecho de mais de 1.100 km, além da MT-338 no entroncamento com a MT-270, entre a localidade de Naboreiro e Rondonópolis.

Além das rodovias, o acesso a municípios e distritos como Reserva do Cabaçal, Mirassol D’Oeste, Piraputanga, Cláudia, Campo Novo do Parecis, Marcelândia, Novo Mundo, Nova Canaã do Norte e outras regiões, por meio de pontes, fica prejudicado devido à ordem de paralisação dos serviços de reconstrução.

Suspensão de contratos


A suspensão dos contratos firmados foi decretada ainda na primeira semana da gestão do novo chefe do Executivo mato-grossense e atinge todas as secretarias estaduais.

Somente foram excluídas da determinação contratos que atendem a serviços considerados essenciais.

A primeira obra de porte a ser suspensa pelo novo decreto foi a revitalização e ampliação do Porto de Baé, no Rio Garças, em Barra do Garças, pela Secretaria de Estado e Desenvolvimento, que está sob o comando de Seneri Paludo. Orçada em R$ 12,3 milhões, a obra faz parte do plano de revitalização de um dos mais importantes pontos turísticos da região do Araguaia.

Além deste, o município de Pontal do Araguaia também foi prejudicado pela determinação de suspensão de contratos firmados na gestão de Silval Barbosa. Na cidade, obras de pavimentação de ruas e avenidas orçadas em mais de R$ 2,3 milhões foram suspensas sem previsão de retomada.


Fonte: Priscilla Vilela
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario