Protesto nas rodovias federais é suspenso até o dia 10

Os caminhoneiros suspenderam os bloqueios que vinham realizando nas rodovias do Estado nos últimos 13 dias. Com isso, o trânsito nas BRs 163, 364 e 070 fica livre a partir desta terça-feira (3).

Mas, a trégia deve durar somente até o próximo dia 10, quando será discutida a formatação de uma nova tabela "balizadora" do preço do frete.

A suspensão da paralisação foi definida na tarde de segunda-feira (2), após uma reunião que contou com senadores e o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Miguel Rossetto, em Brasília.

Foram apresentadas as reivindicações dos caminhoneiros de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, já que  os Estados não tiveram representantes na última reunião com o Governo Federal, de acordo com o representante dos manifestantes e empresário do ramo de transportes, Gilson Baitaca.

Entre os assuntos tratados, estão a isenção de pagamento de pedágio para eixo suspenso de caminhões vazios, perdão das multas por excesso de peso expedidas nos últimos dois anos, ampliação de pontos de parada para descanso e repouso, bem como a prorrogação das parcelas de financiamentos de caminhões.

A categoria tratou ainda sobre a redução do preço do óleo diesel, uma vez que o Governo do Estado determinou somente congelamento da pauta fiscal do diesel em R$ 2,90, a partir da primeira quinzena de março.

Fazia parte das reivindicações a aprovação da Lei dos Caminhoneiros, que foi sancionada pela presidente Dilma Rousseff (PT) na segunda-feira. 

“As coisas aqui não acontecem da noite para o dia. Tudo depende de estudos. Acho que estamos conquistando muito pelo fato de como estávamos desunidos e sem perspectivas”, avaliou Baitaca.

Está prevista uma reunião, ainda hoje, com o Governo Federal para dar continuidade às negociações. 

“Hoje, estaremos juntos na reunião com todos os estados paralisados para a pauta final, mas a mesa permanente continuará a partir do dia 10 de março”, disse.

Na data, terá início a primeira reunião com o Governo Federal para discutir a Tabela de Fretes Mínimos, que vai contar com as principais trandings que atuam no Estado. 

A categoria quer à elaboração de uma tabela fixa para a cobrança do frete que seja baseada no quilômetro rodado. 

As negociações são fruto de um acordo firmado com o Governo com a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) e devem dar início à recomposição do valor dos fretes. 

A expectativa é de que a remuneração dos transportadores seja prontamente garantida.

Desabastecimento

Com a suspensão do bloqueio, a situação do desabastecimento de combustível - gasolina, etanol, diesel e diesel S10 - na região Norte do Estado deve ter um fim. E a previsão é de que os produtores armazenem os combustíveis para utilizar nos maquinários das lavouras e no transporte da safra para os silos.

Isto porque o Estado se encontra no pico de colheita da safra e, pelo menos, 20% dos produtores ficaram sem o combustível nos últimos dias, conforme levantamento realizado pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

As regiões produtoras, como Sinop e Lucas do Rio Verde, eram as mais atingidas com as manifestações, de acordo com Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo (Sindepetroleo), que aponta que pelo menos, 10 cidades registraram a falta de combustível.


Fonte: Midia News
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario