Professor é preso por assediar alunas em troca de notas altas

Um professor de história do Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT), em Cuiabá, foi preso pela Polícia Civil nesta terça-feira (30), acusado de abusar de alunas em troca de notas altas na disciplina.

O suspeito A.K.M., 29 anos, foi denunciado anonimamente neste ano à Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica).

A denúncia relatava que o professor estaria propondo encontro sexuais em troca de notas melhores em sua disciplina. As vítimas tem idade entre 15 e 17 anos. 

O delegado Eduardo Botelho afirmou que instaurou procedimento preliminar para apurar a exploração sexual, mas, mesmo antes da conclusão das diligências, uma vítima compareceu à Delegacia, na companhia da mãe, e confeccionou boletim de ocorrência afirmando que era assediada pelo professor em troca de notas mais altas.

"Como o único vínculo existente entre a pessoa investigada e a ofendida é o de professor e aluna, o único benefício que ele, em tese, poderia oferecer à sua pessoa seria a avaliação com notas mais altas do que as merecidas, ou seja, o teor da supracitada 'denúncia anônima' se confirmou na íntegra", explicou o delegado. 

"Como o único vínculo existente entre a pessoa investigada e a ofendida é o de professor e aluna, o único benefício que ele, em tese, poderia oferecer à sua pessoa seria a avaliação com notas mais altas do que as merecidas, ou seja, o teor da supracitada 'denúncia anônima' se confirmou na íntegra"
De acordo com o delegado, a vítima descreveu com exatidão o assédio sexual e apresentou conversas mantidas com o professor por meio do aplicativo WhatsApp.

Ela ainda afirmou que o professor estaria, da mesma forma, assediando outras alunas e teria conseguido levar duas estudantes para motéis e mantido relação com outra no banheiro da unidade de ensino, no ano de 2014. 

"Restando evidenciada a extrema gravidade dos episódios noticiados, bem como comprovada de forma veemente a presença dos indícios de autoria e prova da materialidade delitiva dos pretensos delitos noticiados, representei pela prisão temporária (30 dias) do professor", disse. 

A ordem de prisão foi decretada pela 14ª Vara Criminal na segunda-feira (29) e cumprida nesta manhã, na casa do suspeito, no bairro CPA IV, em Cuiabá. 

O suspeito foi ouvido informalmente e confessou que manteve relações sexuais com uma aluna adolescente e também trocou beijos com outra aluna menor de idade, mas salientou que os episódios teriam ocorrido em razão de interesse mútuo e não em troca de notas altas. 

Nos próximos dias todas as alunas do suspeito serão notificadas para comparecer na Delegacia e prestar esclarecimentos no inquérito policial. 

O professor poderá ser indiciado por crime de exploração sexual de adolescente em continuidade delitiva. Ele já foi encaminhado ao Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC).

Outro lado


Por meio de nota enviada pela assessoria, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT) afirmou que irá tomar todas as medidas cabíveis, através de processo administrativo, para apurar o fato.


Do Mídia News
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario