Corpo carbonizado pode não ser de gerente; hipótese não é descartada

Gerente-adjunto do Banco do Brasil, Danilo Moreno, está desaparecido desde a última sexta-feira (8); polícia suspeita que ele tenha sido vítima de latrocínioPoliciais que investigam o caso do corpo encontrado carbonizado no porta-malas de um carro em chamas numa estrada vicinal em Chapada dos Guimarães, na madrugada do último sábado (9), suspeitam que o corpo não seja do gerente bancário Danilo Moreno, 30. Conforme a Polícia Civil, o bancário, que trabalhava no Banco do Brasil em Rosário Oeste, está desaparecido desde a última sexta-feira (8).

Enquanto o corpo não for identificado, á Policia trabalha com duas linhas de investigação.

A policia não descarta a hipótese de que o corpo não seja do gerente, informação que poderá ser concretizada através do exame de DNA, que poderá ser concluído em um prazo de 15 dias.

Á Policia Civil de Rosário Oeste está ajudando a delegacia de Chapada dos Guimarães nas investigações, segundo o delegado Guilherme Berto, já foram ouvidas várias pessoas que eram próximas a Danilo.

Em relatos à Polícia Civil, a esposa do bancário disse que o marido foi visto pela última vez na manhã de sexta, quando saiu de casa cedo pulando uma janela, e que o casamento estava passando por problemas.

Peritos criminalistas e policiais civis que atenderam a ocorrência encontraram a vítima já carbonizada e com arames farpado, presos nos braços e pescoço.

O cadáver foi recolhido e encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Cuiabá para que passe por exame de DNA. Familiares do bancário já forneceram material genético ao órgão.
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario