Carga com 12 toneladas de dinamites é apreendida em MT

Dois caminhões carregados com dinamite foram apreendidos na região da Serra do Cachimbo, em Guarantã do Norte (715 km ao Norte), na última terça-feira (09.02), por estar com peso diferente das notas fiscais.

Durante pesagem no posto fiscal, na divisa do Estado de Mato Grosso com o Pará, foi constatado que estavam faltando 5 mil quilos de dinamite na carga.

Uma carreta apresentou nota fiscal de 12 mil quilos e tinha 9 mil quilos. A outra teria que estar com 5 mil quilos, conforme a nota fiscal,  mas somente 3 mil foram encontrados.

A Polícia Civil de Guarantã do Norte foi acionada e fez a apreensão da carga e a prisão em flagrante dos motoristas, por transporte irregular de material explosivo e falsidade ideológica, em razão do motorista se diferente ao nome que constava em uma das notas fiscais.

 A carga de 17  toneladas deveria ser entregue a mineradora Itaituba, no Pará. Um caminhão com 12 toneladas de explosivos saiu da do Paraná e outro com 5 toneladas de Goiânia (GO). Cinco toneladas do produto deram entrada no Posto Fiscal de Aragarças, em Goiás, na divida com Barra do Garças, porém, a carga não foi entregue no destino.

O caminhão vazio se encontrou com o motorista que transportava 12 mil em  explosivos, na cidade de Primavera do Leste (231 km ao Sul), e lá transferiu 5 mil para o veículo, que durante a fiscalização no Posto Fiscal da Serra do Cachimbo, um caminhão passou e no outro os fiscais desconfiaram da irregularidade e na pesagem constataram que faltavam 2 toneladas. O motorista contou que ao passar pelo posto fiscal, ficou com medo de apresentar as duas notas.

O delegado regional, Ronan Gomes Villar, disse que além da transferência de carga de um caminhão para o outro, o motorista também era diferente do que apresentava na nota fiscal.

“A carga estava destinada ao motorista, Murilo Giolo, filho do dono da empresa transportadora, que recebeu a Guia de Transporte de Mercadoria, para fazer o  transporte. Ele deu entrada em Aragarças (GO), mas a carga não chegou no Pará”, explicou. “Esse mesmo caminhão foi passado para outro motorista e a carga encontrada nele era de outra empresa, a IBQ, diferente do que constava na nota fiscal que é da empresa Isoman”, completou o delegado.

Os dois caminhões, um com 9 toneladas e outro 3 toneladas, foram encaminhados à Base  Aérea do Cachimbo, para guarda até que o Exército Brasileiro providencie a retirada e destinação do produto explosivo.

Fonte: Mídia News
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario