Empresário acusado de espancar médica é solto após ficar 13 dias presos

Empresário acusado de espancar médica é solto após ficar 13 dias presosO empresário Marcos César Martins Campos, 34 anos, foi solto nesta terça-feira (14), após a sua defesa conseguiu revogar o a prisão preventiva na última segunda-feira (13). Ele é acusado de agredir a ex-mulher, a médica Camila Campagnoli Tagliari Campos. O rapaz estava preso desde o último dia 31 de maio, quando se entregou espontaneamente.

“Conseguimos revogar a prisão preventiva ontem, ele foi liberado nesta terça-feira e já está em casa. A revogação das medidas restritivas ainda será discutida posteriormente, ele continua a utilizar a tornozeleira enquanto isto”, explicou ao Olhar Direto o advogado Rodrigo Leite da Costa, responsável pela defesa do acusado.
 
Como a revogação saiu na tarde de segunda-feira, não houve tempo para liberação no mesmo dia: “O relatório foi conclusivo e mostrou que o Marcos não descumpriu nenhuma medida restritiva”, disse o delegado. A decisão de soltar o acusado foi do juiz Jamilson Haddad.
 
A médica, que manteve uma relação de quase oito anos com o empresário, foi severamente agredida na madrugada de 27 de março na garagem de um prédio de luxo no bairro Duque de Caixas, em Cuiabá.
 
O caso
 
O episódio de violência foi registrado pouco depois de o casal deixar uma comemoração pelo aniversário de Marcos. Durante a festa, na qual Marcos consumiu bebidas alcoólicas, a vítima teria sugerido ao agressor que ambos fossem embora do local, já que no dia seguinte teriam de comparecer a outro evento comemorativo, dessa vez com os pais de Marcos.
 
No entanto, quando o casal chegou à garagem do prédio onde reside, a mulher foi, de repente, puxada pelo cabelo. Na sequência, iniciou-se uma sessão de agressões físicas: com socos e tapas. As agressões, presenciadas pela filha da médica, e enteada de Marcos terminaram depois que a mulher se esconder no banheiro da portaria e acionou uma equipe da Polícia Militar. Os policiais realizaram a prisão de Marcos quando ele dormia no apartamento do casal. A filha da médica foi obrigada a assistir ao espancamento e ajudou a mãe a recobrar os sentidos nas duas vezes em que a mulher desfaleceu por conta do ataque sofrido.


Fonte: Olhar Direto
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario