Encontrado corpo de criança de 9 anos que desapareceu em rio

O Corpo de Bombeiros informou no final da tarde deste sábado (9) que encontrou o corpo do menino de nove anos desaparecido desde a manhã de sexta-feira no rio Teles Pires, dentro da Área de Preservação Ambiental (APA) de Salto Magessi, distrito de Boa Esperança, município de Sorriso (a 420 km de Cuiabá). As buscas haviam começado na tarde de sexta-feira.

No momento em que desapareceu, o menino estava com o pai e um irmão nas margens do rio Teles Pires. A área é comumente visitada por moradores da região para lazer, especialmente durante a época de seca do rio. O trecho é bem acidentado, com pedras e quedas d'água que dificultaram o trabalho de buscas.

De acordo com a aspirante Yara Correia dos Santos, que comandou a equipe de dois mergulhadores e dois soldados deslocados para a área, o pai da criança estava com ela e mais um filho em uma das diversas piscinas naturais que se foram ao longo do leito do rio em meio às pedras. A piscina em que eles estavam tem pouco mais de 2 m² de área e é formada por uma queda d'água de aproximadamente um metro de altura. O pai, que trabalha como radialista em Sorriso, estava aproveitando o primeiro dia de férias com os filhos.

O relato que chegou ao Corpo dos Bombeiros foi de que, em determinado momento, o pai perdeu o filho de vista e imaginou que ele tivesse se afogado ou saído para explorar a mata nas margens do rio. Sem sucesso na busca, o pai acionou o socorro por volta das 10h de sexta-feira. A equipe com mergulhadores chegou por volta das 12h e iniciou as buscas, mas o caráter acidentado do terreno, a correnteza forte no trecho e a turbidez da água prejudicaram os trabalhos.

Por outro lado, a equipe percebeu que poderia haver uma fenda nas pedras do fundo da piscina natural onde o menino estava e decidiu concentrar as buscas nesta área. A hipótese era de que o menino havia se afogado, submergido e se prendido nesta suposta fenda. Para isso, porém, seria necessário interromper a queda d'água, devido à pressão e por ser o fundo estreito demais para o trabalho de um mergulhador com equipamentos.

Com auxílio de comerciantes de Sorriso, da Polícia Militar e da Prefeitura, a equipe então retornou ao local na manhã deste sábado com maquinário para desviar o curso d'água na área em questão, dando condições para verificar a fenda nas pedras, a pouco menos de dois metros de profundidade. Logo foi avistado o corpo da criança preso à fenda e a pedaços de madeira. Os trabalhos foram acompanhados pelo pai e pela mãe do menino.

Segundo a aspirante Yara Correia dos Santos, o acidente evidencia os riscos desta APA, que ainda não possui gestão apropriada ou a presença de qualquer agente público. Sem delimitação de área para banhistas, afirmou a aspirante, permanecem os riscos para a população que procura o local para lazer. A região já tem histórico de acidentes similares ao deste fim de semana, alertou a aspirante.

Do: G1 MT
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario