Piloto acusado de atropelar jovens em Cuiabá é executado em MS

O piloto Jaime Gustavo Nystron, de 36 anos, foi assassinado com 38 tiros na noite de segunda-feira (08), em Ponta Porã (MS), na divisa com Paraguai.

Nystron trabalhou na campanha do ex-candidato ao Governo de Mato Grosso, Ludio Cabral (PT), em 2014. Ele também era investigado pela Polícia Civil do Estado, acusado de atropelar dois motociclistas em Cuiabá.

Conforme informações do delegado Lucas Soares de Caires, da 1ª Delegacia de Polícia de Ponta Porã, o crime ocorreu quando o piloto, que era proprietário da empresa Agricenter Aviação Agrícola, chegava em casa, no bairro Jardim Aeroporto.

Na verdade a gente sabe que nessa região de fronteira os pilotos são muitos assediados por traficantes de drogas, para transportar entorpecentes

O delegado explicou que ele foi abordado no seu carro, um Gol preto com placas de Cuiabá, por dois homens em uma motocicleta.

Conforme Soares, os suspeitos efetuaram vários disparos e, logo em seguida, fugiram em alta velocidade. Eles não foram encontrados.

Nystron morreu no local. O delegado confirmou que ele foi atingido por 38 tiros calibre 9mm de uma submetralhadora.

O delegado informou que já começou as investigações do crime. Ele ouviu a viúva do piloto nesta terça-feira (9). De acordo com Soares, ainda não é possível  saber o que motivou o assassinato.

“Na verdade a gente sabe que nessa região de fronteira os pilotos são muitos assediados por traficantes de drogas, para transportar  entorpecentes”, disse o delegado.

“A questão é descobrir se ele se recusou a fazer o transporte ilegal ou estava envolvido com esses grupos criminosos”, complementou Soares.

O corpo de Nystron foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) e deve ser traslado para Rio Grande do Sul, onde residem seus familiares.

Atropelamento em Cuiabá

Em outubro 2011, Nystron atropelou dois motociclistas na Ponte Nova, em Cuiabá. O caso ganhou repercussão na imprensa local, já que o fato foi flagrado por uma equipe de televisão que realizava uma matéria sobre a interdição da pista.

No entanto, dois policiais que atenderam a ocorrência não registraram um B.O sobre o fato. 

A suspeita é de que eles receberam proprina do piloto.

Em julho de 2013 o Ministério Público Estadual de Mato Grosso denunciou os dois policiais pelo crime de corrupção passiva e falsidade ideológica. 

Mídia News
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario