Atendimentos na BR-163 aumentam 25% em um ano

A procura pelos atendimentos prestados pela Concessionária Rota do Oeste aumentou 25% no último ano, quando 127.201 casos foram registrados nos 850,9 quilômetros das rodovias BR-163/364 e dos Imigrantes.

No primeiro ano, foram 101.413 serviços prestados aos usuários, totalizando 228.538 atendimentos desde a implantação dos serviços operacionais, em 20 de setembro de 2014.
  
De 1º de janeiro a 18 de setembro deste ano, foram registradas 90.984 ocorrências. Em média, são realizadas cerca de 350 assistências por dia sem custo adicional ao usuário. Toda prestação de serviço é custeada pelos valores arrecadados com o pedágio. As equipes são responsáveis por diversos trabalhos, desde o recolhimento de objetos na pista à prestação de socorro e resgate de vítimas de acidentes, sempre com foco na segurança e preservação da vida.

Para a dona de casa Juliana Pereira Mota, 24 anos, a presença da Rota do Oeste na BR-364 foi importante em julho deste ano, quando ela e a família sofreram um acidente. E da tragédia nasceu uma amizade com a socorrista Fabiana da Silva Meira, 31 anos, que atua na base do Sistema de Atendimento ao Usuário (SAU) de Jangada.

“No acidente eu perdi meu marido e a minha filha Thauany teve um corte muito profundo nas costas, um ferimento muito grave. A Fabiana foi muito importante na nossa vida pelo cuidado todo especial que teve com a Thauany. Ela ficou com a minha filha o tempo todo, desde a hora do resgate até o momento em que a entregou para o médico no centro cirúrgico”, relata Juliana.

O socorro prestado à família da dona de casa faz parte dos 2.201 casos atendidos este ano relacionados a acidentes de todas as naturezas dentro e fora do trecho. Desde que assumiu a concessão, a Rota do Oeste registra uma redução de 15% em relação ao número de mortes. Dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF) apontam que de janeiro a agosto de 2013 ocorreram 89 óbitos na BR-163. No mesmo período deste ano foram 76 casos.

O gerente de Operações da Rota do Oeste, Fernando Milléo, destaca que a principal preocupação da Concessionária é preservar vidas. São mais de 500 pessoas trabalhando com este intuito. “O nosso foco é garantir segurança aos usuários, sempre buscando preservar a vida de quem trafega pelo trecho. Todo trabalho é feito com essa missão”, explica.

As ações mais perceptíveis para quem trafega nas rodovias são as de resgate em casos de acidentes, mas a Rota do Oeste faz muito mais que isso. Desde o início das operações foram realizados mais de 5 mil atendimentos clínicos a pessoas que apresentaram alguma necessidade, além de sete partos.

O superintendente da Polícia Rodoviária Federal, Arthur Nogueira, destaca que a chegada da Rota do Oeste em Mato Grosso representou melhorias significativas para a principal rodovia federal do Estado, a BR-163, oferecendo um apoio importante para a PRF, que passou a ficar livre para executar os serviços de fiscalização e policiamentos.

“Na maioria das vezes as equipes da Concessionária chegam antes da PRF e já fazem a sinalização da ocorrência, prestam o atendimento e dão agilidade a todo o processo. A PRF e os usuários da rodovia ganharam muito com isso. Antes, era comum encontrar motoristas esperando horas na rodovia pela chegada do guincho, por exemplo. Agora o atendimento é muito mais rápido”.
  
Para prestar esse serviço, a Concessionária dispõe de 18 bases distribuídas pelos 850 quilômetros da BR-163, uma a cada 47 quilômetros, em média. As unidades contam com veículos de inspeção, guinchos leves e pesados, ambulâncias, além de cinco caminhões pipas que auxiliam nas ocorrências com risco de fogo.

Panes

Os problemas em veículos são responsáveis por boa parte dos atendimentos prestados. Cinco tipos de situações são responsáveis por 37% da demanda das equipes operacionais da Rota do Oeste. As principais ocorrências envolvem pane mecânica, pane elétrica, pane seca, pneu furado e superaquecimento do motor. Juntas, essas situações demandaram 86.154 atendimentos em dois anos e 33.240 assistências em 2016.

Limpeza

Pequenos serviços resultam em segurança também. A Concessionária conta com 19 equipes de inspeção que percorrem todo o trecho de forma constante, vistoriando o segmento. Todo material encontrado na pista é recolhido para evitar sinistros. Além disso, essa “fiscalização” do segmento permite a prestação de auxílio de forma mais eficiente. Somente este ano foram recolhidas cerca de 455 toneladas de materiais da rodovia.


0800

Além do serviço em campo, a Rota do Oeste conta ainda com setores como o Centro de Controle Operacional (CCO) que atua em sintonia com as equipes do 0800 065 0163, uma das portas de entrada dos atendimentos. De setembro de 2014 a 18 de setembro de 2016 foram registradas 166.595 ligações, de 101.314 números diferentes.

Em 2016, até agora, foram 49.995 chamados, em média, 192 por dia. Em relação ao mesmo período de 2015, o aumento é de 43% no número de atendimentos pelo 0800. No ano passado, foram 35.056 ligações.
  
Milléo destaca que metade das chamadas é referente a veículos que apresentam algum tipo de problema, além de pedidos de informações sobre a rodovia, reclamações, elogios e sugestões. “Estamos disponíveis 24 horas por dia e o serviço deve ser usado. O 0800 existe para facilitar a vida dos usuários.” 

As solicitações de auxílio foram as principais causas de acionamento este ano, com 20.658 chamados. Em segundo lugar estão os pedidos de informações com 17.806 acionamentos da Concessionária, seguido dos questionamentos sobre o trecho sob a responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT) com 4.614 ligações.

Pelo 0800 065 0163 os usuários também fazem reclamações, solicitações, elogios e sugestões. ​
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario