Duas pessoas são detidas por distribuir jornais contra Emanuel e PF irá investigar o caso

Duas pessoas são detidas por distribuir jornais contra Emanuel e PF irá investigar o caso;  vídeo A Polícia Federal irá investigar duas pessoas, detidas na última segunda-feira (24), por conta de jornais contra o candidato do PMDB a prefeitura de Cuiabá, Emanuel Pinheiro. Segundo a denúncia, as publicações seriam apócrifas, o que caracterizaria crime eleitoral. Um vídeo mostra o momento da confusão. Nas imagens é possível ver que os dois envolvidos alegam estar sendo censurados e que fizeram apenas um trabalho jornalístico.

Conforme o Boletim de Ocorrências (nº 2016.341608), a Polícia Militar foi acionada por um assessor jurídico do candidato Emanuel Pinheiro, que flagrou a distribuição do jornal. Aos policiais, ele relatou que presenciou o momento em que José Gomes da Silva distribuía reportagens contra o peemedebista.
 
Ainda afirmou que se tratava de crime eleitoral, já que seria uma publicação apócrifa. Por conta disto, todas as partes foram encaminhadas para a Polícia Federal, onde prestaram esclarecimentos. Foram apreendidas duas caixas lacradas e uma aberta contendo o material gráfico.



 
No vídeo, José e Genelice Alves dos Santos discutem com o assessor do candidato do PMDB e também com os policiais: “Estamos divulgando o jornal e sendo acusados pelo advogado do Emanuel Pinheiro de que estamos divulgando jornal apócrifo. Temos jornalista responsável no nosso jornal, assinatura e ele quer nos impedir da liberdade de imprensa. Não podemos mais ter liberdade de imprensa, divulgar matérias”, disse a mulher, que grava o vídeo.
 
“Só porque tem uma matéria falando do Emanuel Pinheiro, não podemos divulgar. Estamos sendo levados para a delegacia por conta disto aqui”, completa a mulher. “O advogado está querendo nos impedir de mostrar quem é Emanuel”, finaliza o homem.
 

Fonte: Olhar Direto
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario