Polícia prende suspeito de estuprar duas mulheres em Cuiabá

Um homem suspeito de estuprar duas mulheres no início da semana, em Cuiabá, foi preso na manhã desta terça-feira (22) pela Polícia Militar, após agredir uma mulher durante uma tentativa de roubo.

A Polícia Civil informou que a confecção de um retrato falado do suspeito ajudou em sua identificação. As vítimas do estupro foram até o Cisc Planalto e fizeram o reconhecimento do homem.

De acordo com as informações do boletim de ocorrência, a prisão ocorreu quando os policiais foram acionados para atender uma ocorrência de roubo, no Bairro Araés.

No local, eles avistaram o suspeito sentado no chão, imobilizado por populares.

Foi relatado que ele tentou roubar uma mulher, mas ela reagiu. A vítima foi derrubada e o suspeito a agrediu com chutes.

Populares que flagraram a ação conseguiram deter o homem até a chegada da PM.

O suspeito foi levado para o Cisc Planalto, onde se apresentou como W.S.A.

No local, ele acabou sendo reconhecido como autor de dois estupros que ocorreram na segunda e na madrugada de terça-feira na Capital.

Violência sexual

Como já noticiado pelo MidiaNews, na segunda-feira (21) uma mulher de 39 anos foi estuprada dentro de uma casa abandonada, nas proximidades do Cemitério da Piedade, no Centro.

A vítima tinha acabado de deixar a filha na escola, por volta das 6h30, quando foi abordada pelo suspeito, que usou de violência e ameaça para consumar o ato.

Já na terça-feira (22), por volta das 04h, o suspeito invadiu uma casa no Bairro Duque de Caxias e estuprou uma jovem de 26 anos, ao lado da mãe.

As vítimas estavam dormindo quando foram abordadas pelo suspeito. Ele chegou a consumar a violência sexual e só fugiu após a vítima conseguir pegar uma faca.

Identidade falsa

Após dar entrada com o nome de W.S.A. no Cisc Planalto, um primo do suspeito procurou a Polícia Civil para denunciá-lo por uso de identidade falsa.

Segundo o jovem, o nome do rapaz é D.S.A., que já tem passagens pela polícia e, inclusive, rompeu a tornozeleira eletrônica que usava.

W. afirmou que essa não é a primeira vez que o suspeito usa seu nome, mas que nunca teve passagem criminal e que, por isso, decidiu denunciá-lo por falsidade ideológica.

Fonte: Mídia News
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario