TSE recebe relatório da PF em ação sobre Dilma e Temer

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recebeu nesta quarta-feira (18) relatório da Polícia Federal sobre buscas realizadas no fim do ano passado em gráficas contratadas pela campanha presidencial de Dilma Rousseff e Michel Temer em 2014.

O documento foi anexado em segredo de Justiça na ação proposta pelo PSDB que tem como objetivo cassar a chapa vencedora.

A diligência da PF foi realizada em 27 de dezembro e, na ocasião, os policiais visitaram empresas subcontratadas por gráficas que, segundo as investigações, não teriam prestado os serviços pagos pela campanha

Os principais alvos da ação do TSE foram a Rede Seg Gráfica, VTPB Serviços Gráficos e a Focal Confecção e Comunicação. O objetivo era verificar se as empresas tinham capacidade operacional para entregar os produtos contratados pela chapa durante a eleição de 2014.
 
Depoimentos

Relator da ação no TSE, o ministro Herman Benjamin marcou para 8 de fevereiro, em São Paulo, os depoimentos de cinco testemunhas ligadas às gráficas.

No despacho, Benjamin afirmou que as oitivas visam dar "prosseguimento à instrução e ao contraditório, e em observância ao desdobramento do conjunto probatório" coletado na ação da PF.

No total, 50 agentes fizeram buscas em cerca de 20 locais, nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Santa Catarina.
 
Versões de Dilma e Temer

À época da operação, a defesa de Dilma no processo questionou a realização da busca durante o recesso do Judiciário, "sem qualquer fundamento de urgência", com tomada de depoimentos "sem o indispensável acompanhamento pelo advogados das partes" e realização de perícias também sem acompanhamento por
assistentes.

A defesa de Temer, por sua vez, alegou que a investigação sobre as gráficas contratadas deveria ser feita numa ação diferente, que buscasse encontrar os responsáveis diretos pelos gastos de campanha. Os advogados do peemedebista sustentaram, ainda, que ele e o partido não tiveram participação na ordenação das despesas na disputa de 2014.

Créditos: G1
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario