Assembleia instala CST para debater prevenção à depressão na comunidade acadêmica

A Assembleia Legislativa instalou na tarde dessa quinta-feira (10), a Câmara Setorial Temática (CST) para debater e discutir a Prevenção da Depressão de Alunos, Professores e Colaboradores nas Escolas de Mato Grosso. A iniciativa foi dos deputados Faissal Calil e Oscar Bezerra, ambos do PV, que, a partir de uma solicitação dos alunos e professores do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), campus Várzea Grande, materializaram a formatação do grupo.

A ideia inicial é fazer reuniões quinzenalmente para depois montar um plano de atuação, e, consequentemente, concluir os trabalhos técnico-científicos para elaboração de um projeto de lei com o propósito de adotar práticas nas escolas de Mato Grosso que combatam a doença.

“Temos que destacar a iniciativa do IFMT, que é fundamental e de grande relevância. Se o governo do estado entender da mesma forma que a Assembleia, poderemos ter ao longo de muito tempo a prevenção ou inibir o suicídio por causa da depressão”, explicou Bezerra.

Ele citou que no ranking nacional de suicídios, um  mapa da violência elaborado pelo governo federal, Mato Grosso está entre os estados que mais registra números de suicídios no país.

“Para reverter essa taxa, vamos convidar setores específicos da Seduc, Ministério Público, assistências sociais, universidades e sociedade civil em geral, para criarmos um documento contendo sugestões de melhorias e apresentá-lo ao governo do estado”, explicou Oscar Bezerra.

Conforme pesquisa da Secretaria de Estado e Segurança Pública (Sesp), de janeiro a maio de 2019 foram registrados 107 suicídios em Mato Grosso. Os dados de 2019 apontam que uma pessoa tira a própria vida a cada 36 horas (um dia e meio). No mesmo período de 2018, foram 97 casos.

Para a professora da disciplina “Estado, Governo e Administração”, do curso de Gestão Pública do IFMT, Hellen Caroline Ordones Bucair, o conceito partiu do interesse dos próprios alunos e nasceu dentro da sala de aula.

“Dentro desse contexto, propusemos que elaborassem um projeto de lei de iniciativa popular e o tema ficaria a cargo dos alunos, que marcasse relevância com a sociedade. A depressão ganhou força entre eles. Esperamos um embasamento de discussão com a sociedade para ganhar força e que o projeto tramite trazendo o interesse público para os debates”, disse Bucair.

O presidente da CST, José Lacerda, lembrou que o Brasil figura entre os países onde mais pessoas cometem suicídio, na 8ª. posição do ranking mundial e como segundo colocado da estatística na América Latina.

“É de fundamental importância a criação de uma lei para tratar de um tema de total relevância para o estado. Estamos falando de uma questão que atinge mais de 300 milhões de pessoas no mundo e de 11 milhões no Brasil, entendo que o país precisa ter um olhar diferenciado para este modelo real, de fato, no Brasil. Atualmente, existe um volume muito grande de pessoas atingidas no país, inclusive, em consequência da depressão em suicídio”, apontou Lacerda.

Na ocasião, o presidente da CST lembrou também que dados do Ministério da Saúde mostram que o país corre o risco de piorar ainda mais sua posição, pois um estudo internacional realizado entre os anos de 2000 e 2016 indica que o número de ocorrências suicidas saltou de 6,7 mil para 11,7, o que representa um crescimento de 73% em menos de 20 anos.

“São números alarmantes que nos deixam preocupados, mas entendo que com o apoio de órgãos públicos e da sociedade em geral, esta câmara setorial vai dar um passo importante em busca de soluções para conter esse problema”, destacou Lacerda.

Fonte: ALMT
Share on Google Plus

Assuntos Relacionados

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentario